Aquarius Life: Quantidade de crianças pedintes chama atenção de leitores

“Aumentou muito a quantidade em locais como os estacionamentos das padarias, hipermercados e hortfruit”, afirma morador

foto Life

O Jardim Aquarius é sinônimo de qualidade de vida. Mas, a ostentação dos arranha-céus e suas casas de alto padrão contrastam diretamente com a triste realidade daqueles que se encontram às margens da sociedade, vendendo produtos ou pedindo contribuição pelos semáforos, estacionamentos, ruas e praças do bairro. Ainda reflexo da pandemia, crianças e adolescentes que atuam no mercado informal, ou que pedem esmolas, são cenas cada vez mais frequentes no cotidiano aquariano. Os motivos que levam crianças e adolescentes a “instalarem-se” nas esquinas pela busca de uma fonte de renda são diversos. Decorrem das dificuldades de convivência familiar, questões relacionadas à dependência química, desemprego e, por vezes, a um ciclo de perdas afetivas.

“É nítido que o número de crianças e adolescentes pelos semáforos vem aumentando consideravelmente. Sempre que posso eu ajudo, sim. Seja comprando bala, doce ou simplesmente para contribuir. Me corta o coração” afirma a empresária Cláudia Petinovich. Opinião similar é exposta por J.R.V. “Aumentou muito a quantidade em locais como o estacionamento das padarias, hipermercados e hortfruit”, afirma o morador, que acrescenta. “Não sou contra pedintes e pessoas que praticam a função de vendas de diversos artigos com o intuito de buscar renda. Inclusive, dentro do possível eu os ajudo também dando donativos ou comprando algo. Apenas sou contrário aos que fazem o tipo apelativo no processo, como colocar no cenário crianças e às vezes até bebês para forçarem uma barra e assim os abordados darem algum donativo ou comprarem algo. O detalhe é que algumas abordagens ocorrem com intimidações, gerando constrangimentos e medos à população do bairro. Sem contar que prejudica o comércio local”, avalia J.R.V.

Vale ressaltar que São José dispõe de uma rede de proteção ao menor bem articulada por meio de ações do Conselho Tutelar e da prefeitura. Em São José dos Campos, denúncias podem ser feitas pelos números 153 ou 156. No Brasil, pelo 100 ou 190. A área do Jardim Aquarius é atendida pelo Conselho Tutelar Centro, que fica na rua Maj. Francisco de Paula Elias, 255, Jardim São Dimas, telefone (12) 3921-8705 e email: ctcentro@sjc.sp.gov.br.

A prefeitura também realiza o serviço de ronda especializada na abordagem social de crianças e adolescentes por meio do Programa PETI (Programa de Erradicação do Trabalho Infantil).

LIFE | aquarius-life - Publicado 14:30 | - Redação

Compartilhe a Life Informa:

A LIFE INFORMA é um portal de notícias regionalizadas de São José dos Campos -SP.
Acompanhe em nosso grupo de Whatsapp:  Clique aqui WhatsApp
Quer receber notícias pelo Telegram clique: Clique aqui Telegram
Denúncias, reclamações e informações: Nossa redação 12 98187-2658
Siga nossas redes sociais: @lifeinforma
Nosso Canal no YouTube: Entre aqui

Apple APP
Android APP

LIFE | ANÚNCIO DE PARCEIRO

Comentários:

20 thoughts on “Aquarius Life: Quantidade de crianças pedintes chama atenção de leitores

  1. Edson+JB+Silva disse:

    Acrescentando…no páteo do estacionento do Carrefour, acontece desde crianças e adultos…

  2. Caique Luiz disse:

    Oi tudo certo

  3. Edison Barbosa disse:

    A prefeitura deveria fazer um levantamento de quem ficou órfão de pais nesta pandemia e saber realmente realidade de cada um ,não adianta chamar conselho ,só vai direcionar por outro lado da cidade onde a fiscalização é escassa e grande maioria a fiscalização onde mora os magnata, hoje grande parte prefere gastar absurdo com animal mas não estende as mãos para seu próximo, lamentável essa realidade.

    • Sony disse:

      Sim, conselhos tutelares precisam agir, verificar se essas famílias são atendidas por alguma assistência do governo, saber mais sobre eles, de onde são, se é uma situação passageira, e direcionar para receberem benefícios da prefeitura, as vezes muitos não tem orientação de onde pedir auxílio.E tem pais sacanas tbem que ficam em casa vendo Tv, ou dormindo, fumando erva do diabo e os filhos para rua como acontece no Jardim, pessoas já conhecidas, uma família.

  4. Helvecio disse:

    Tem muitos adultos que colocam as crianças para pedir, as pessoas se comovem e doam. Onde estão as autoridades responsáveis que não fiscalizam.

  5. Ewaldo+Valente disse:

    Quem adivinhar o porquê deste fenômeno “leva” a metade, quem não adivinhar “leva” tudo!!!

  6. Eudaldo Borges disse:

    É LAMENTÁVEK ESSE QUADRO POR TODOS OS BAIRROS,NOTADAMENTE NA VILA EMA,ESPLANADA,AQUARIUS E PARTE CENTRAL.ESSAS CRIANÇAS SÃO CONTROLADAS POR ADULTOS QUE ESTABELECEM METAS PARA OS MENORES QUE SÃO MONITORADOS À DISTÂNCIA, MUITAS VEZES POR TRAFICANYES,COMO A PREFEITURA TEM RECURSOS FINANCEIROS O IDEAL É TIRAR ESSAS CRIANÇAS DA RUA E DAR-LHES APOIO SOCIAL DESCENTE.

    • Leonildo da Silva disse:

      Tem muita Malandragem nisso tudo. Menores de idade e maioria de idade fingindo vender balas para cometer Roubos na Região.

  7. Simone de Lira disse:

    FATO: Em São José dos Campos aumentou o número de pessoas em situação de pobreza extrema. A prefeitura não alcança todos que precisam.

    • Sony disse:

      Mas essas crianças não chegam nesses lugares sozinhas, são trazidas , e monitoradas, é só verificar e amasiar a situação, uma cidade rica que tem condições de tratar isso.

  8. Mario M Ribeiro disse:

    Tem um problema que ninguém vê quer ver ou discute, porque o governo não se dedica a uma intervenção direta, que eu chamo de responsabilidade materno e paterno, porque podem ter tantos filhos sem nenhuma condição, porque o governo não incentiva responsabilidade ao invés de sustentar. Quem pari tem obrigação, no mínimo de se virar, porque você engravida sem a menor condição de sustento próprio, imagina de filhos, não aceito isso no século atual, tem muitos meios de evitar, porque o governo não exige comportamento ao dar de graça alguma coisa, as famílias inscritas recebem ajuda muito sem ter obrigações nenhuma. Já agora aos 70 anos não vejo como pobres coitados, porque o governo não faz ajudas com pré condições, como estudar, comparecer na escola etc.. tá uma bagunça enorme. Fiz um estágio numa favela descobri muito mais pessoas preguiçosas do que famintas. Sinto muito também nasci na favela e não vejo com bons olhos ajudas sem cobranças, os meus filhos ensinei o tempo todo liberdade com responsabilidade.

  9. Patricia disse:

    Além dessas ações, deveria fazer algo de concreto caso a caso
    Vendo a realidade do quê precisa
    Voltar os cursos tipo prodec
    Dentre tantas outras coisas

  10. Jonathan disse:

    E de quem é a culpa, adivinhem, claro que é do pt, antes deles governarem não existia pedintes, assaltos e não tinha tráfico. O bolsolão vai fazer um projeto um projeto social pra visando os menos favorecidos.

    • Motumbo disse:

      A economia a gente vê depois.

  11. Clayton disse:

    Até aqui tem bolsominion falando bosta…..não lê, não estuda, fica o dia inteiro no WhatsApp compartilhando fake news da bolha, Deus pátria e família e se vc não for igual, tome bala……..

  12. Monike disse:

    Eu acho que deveriam ter projetos por parte da prefeitura em ajudar essas pessoas que se encontram desempregados e jovens e crianças oferecendo cursos de qualificação deveriam ter empregos para pessoas paradas .

  13. Bruno disse:

    Acrescentando, os faróis da região do hospital Vivalle possui todo dia crianças muitas vezes menores de 10 anos e até de noite, um absurdo. Prefeitura precisa agir pois já virou rotina.

  14. Paulo+Jose+da+Cruz disse:

    Seria necessário elaborar um projeto de grande alcance social,primeiro levantando todas as situações de risco a que todas essas crianças e adolescentes estão sujeitas,com a colaboração dos conselhos tutelares e ongs com experiência na área social,levantando necessidades tais como educação,saúde,moradia,renda para os mesmos, preparação para o trabalho,inserindo-os no mercado de trabalho e na vida cidadã.

  15. Anon disse:

    Dar dinheiro a pedintes cria um problema de segurança pública e contribui para a desordem urbana. Comprar produtos sem procedência incentiva o roubo de cargas. Se quer ajudar, o faça através das instituições de assistência.
    É só parar de dar dinheiro e deixar de comprar produto de roubo que essas pessoas somem da área, simples assim.

  16. Georges disse:

    Fato é que há não muito tempo atrás não existia mais essa quantidade enorme. Não dá para colocar a culpa só na pandemia. Tragam o tal presidente e seu puxa saco (que mora aqui…rs) para andar a pé nessas regiões e depois declarar que o brasileiro come mal mas não passa fome. E o esboço de rascunho de economista junto. Peçam ao safado do Lira para abrir mão de uns 10% do orçamento secreto para alimentar esses necessitados espalhados pelo país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.