Aquarius Life: Exemplo de cidadania que o bairro agradece!

Andreia Martinez disponibiliza sacolas plásticas em diversos pontos do bairro para reforçar aos donos de pets sobre a obrigação do recolhimento e descarte correto dos dejetos em prol da saúde pública do Jardim Aquarius


Um passeio ao ar livre pelas ruas e áreas verdes do Aquarius faz bem tanto para a saúde dos cães quanto para seus donos. O problema é quando esses passeios se tornam pretexto para que os pets façam de banheiro as áreas públicas do bairro sem o devido recolhimento dos dejetos pelos responsáveis. Não é novidade que além do mal-estar por conta do odor desagradável, as fezes deixadas podem transmitir várias doenças aos homens e também aos animais.
Ciente dos riscos e preocupada com o bem-estar do bairro, a moradora Andreia Martinez realiza há 3 anos um importante trabalho relacionado à cidadania e conscientização. Andreia espalha sacolinhas plásticas em garrafas pet espalhadas em diversos pontos pelo bairro. “No início foi uma atividade solitária. Mas, com a divulgação do trabalho tenho encontrado apoio (também críticas) e doação das sacolinhas para abastecer as garrafas que fixo em árvores nas ruas e praças”, afirma. Confira entrevista com Andreia Martinez.

Life – Quais pontos do bairro têm sacolinhas disponíveis?
Andreia1- Rua Benedito Osvaldo Lecques, com 3 garrafas pets (uma delas abastecida por uma voluntária, em frente ao Place Athennee);
2 – R. Célio José dos Campos, com 1 garrafa pet (quase em frente ao New Life Tower);
3 – Pça. Décio Moreira da Silva, com 2 pets (quase em frente à Secretaria do Estado);
4 – Praça dos Maçons, com 2 pets ;
5 – R. José Pulga, com 1 pet (em frente ao Sport Tower), conhecida como Praça do Carrefour;
6 – Praça Ulysses Guimarães com 4 garrafas pets (2 perto do círculo onde ficam os tutores de pets, 1 fixada em uma árvore quase em frente ao edifício Fenix, outra na extremidade da praça); que eram abastecidas por mim e por pessoas que estão no grupo Pet do bairro, sem muito compromisso;
7 – Av. Tubarão, de frente para a Pça. Ulysses com 1 pet (essa também abastecida por uma voluntária que solicitou);
8 – Praça do Tori, com 1 pet (logo na saída do Condomínio Sunset, pedida por um voluntário) quase sempre vazia;
9 – R. Armando Oliveira Cobra, com 1 pet em uma árvore no retorno (também a pedido de uma voluntária).
10 – Rua Tertuliano Delfim, com 1 pet na Ilha de Bali Residence (solicitado por uma voluntária).

Life – Com qual frequência você reabastece as garrafas pet com sacolinhas?
Andreia – Antes da pandemia o abastecimento era muito mais constante. Quase que semanalmente, 10 dias em média. Agora, infelizmente passo por várias garrafas vazias, fotografo, peço doação de sacolinhas ou que os voluntários as abasteçam. Da maneira que enrolo o saquinho para enchê-las, são necessários 60 saquinhos em cada garrafa.

Life – Qual a situação mais bizarra que você presenciou pelo bairro?
Andreia – Peço desculpas aos que passeiam com seus dogs sem a guia e os acompanham vistoriando e recolhendo suas necessidades. Infelizmente é uma grande maioria que passeia com seu pet solto, o animal muitas vezes fica para trás, faz sua necessidade e o tutor finge que não vê. Eu já presenciei esta situação e um homem muito valente teve a cara de pau de me falar: “se você está preocupada com o cocô, vai e recolhe”! É um ser humano digno de pena…Eu já presenciei várias vezes, recebo relato de quem presencia; de pessoas que cobram e são xingadas e outras que o tutor fica sem graça; o que é menos mau. Jamais podemos esquecer que os pets não têm culpa. Jamais.

Life – Você tem encontrado muitos dejetos nos últimos meses? Você acha que a situação piorou?
Andreia – Sim, tenho. E acredito que o menor número de pessoas circulando pelas ruas do bairro devida à pandemia ampliou a má educação daqueles que aproveitam desta situação e fazem vistas grossas para o fato do seu animal ter feito suas necessidades; e não as recolhe.

Life – Sobre o espaço canino, você frequenta? O que acha do local?
Andreia – Acho fantástica a iniciativa, lembrando: o espaço não foi criado para que todos os pets do bairro o frequente e não mais as praças – tema que foi discutido quando foi mencionado sua construção. Ele veio para agregar. Ainda não o visitei pois fico mais distante. Porém, ouvi bons relatos.

Life – Como você avalia a cidadania dos moradores do bairro em relação a recolher os dejetos dos pets? A maioria recolhe? Minoria? Meio a meio?
Andreia –  Essa questão eu avalio meio ao meio. A população de pets em nosso bairro é bem grande, porém, não é a totalidade que sai com seus pets. Nós que fazemos passeios diários, em horários similares e mesmos perímetros, sabemos quais são os passeadores de pet e ainda os porcalhões que não recolhem os dejetos do seu animal.

Life – O que você acha que o poder público poderia fazer pela questão?
Andreia – Caberiam várias respostas à essa questão. Mas, posso dizer apenas de mim e sou radical quanto a isso. Da mesma maneira que a minha consciência e necessidade de fazer a diferença no meio em que vivo me chamam para fixar e abastecer as garrafas pets; penso que “os dejetos do seu cão são seus”. Creio que ao poder público imputaria apenas a obrigação de encher de lixeiras pelo bairro que ao meu ver são pouquíssimas unidades (mais uma desculpa para aqueles que não tem responsabilidade e senso comum; para deixarem o saquinho com os dejetos dos seus pets nos canteiros, aos pés das árvores e postes), sem caminhar um pouco mais e descartar dentro de uma lixeira. Porque aqueles que não recolhem a sujeira do seu animal das ruas, deveriam permitir que o mesmo o fizesse dentro do seu apartamento, já que é essa a impressão que nós temos daqueles que simplesmente retiram seus bichos de dentro de casa para defecar na rua e deixam a sujeira para trás!  É sim uma decisão de cada tutor. Uma questão de educação mesmo!! O poder público poderia criar leis que nos permitissem filmar e fotografar os porcalhões para serem multados, já que o bom senso deles deve funcionar mexendo no bolso!

Life – O que você acha que o poder público poderia fazer pela questão?
Andreia –  Apenas uma reflexão, nada daquilo que fazemos foge aos olhos do Criador. Nossa integridade está naquilo que fazemos e ninguém vê. Já ouvi de pessoas:  por que você se ocupa com isso? Você acha que vai mudar a atitude de quem não recolhe a sujeira do seu animal? Os pets poderiam promover milagres, seria fantástico. Mas, elas são principalmente um socorro para aqueles que são pegos de surpresa pelos pets que ás vezes fazem suas necessidades mais de uma vez e os nossos que levamos de nossas casas acaba no meio do passeio. Quem quer recolher, recolhe com folha de árvore, papel da rua, o que estiver ao alcance! Guardemos o segundo mandamento de Deus, amar ao próximo como à si mesmo, colocando-se no lugar do outro para respeitar não somente o indivíduo, como o quintal da nossa casa que é o bairro onde vivemos. Respeito! Somente respeito!

LIFE | aquarius-life - Publicado 03:38 | - Redação

Compartilhe:

A LIFE INFORMA é um portal de notícias regionalizadas de São José dos Campos -SP.
Quer receber notícias pelo Telegram clique: https://t.me/lifeinform
Denúncias, reclamações e informações: Nossa redação 12 98187-2658
Siga nossas redes sociais: @lifeinforma

Apple APP
Android APP

LIFE | ANÚNCIO DE PARCEIRO

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *