Aquarius Life: Do ‘Carro da Pamonha’ à buzina do trenzinho, tolerância social em baixa no bairro!

Nunca houve tanta reclamação, como agora, em 12 anos da revista Aquarius Life; psicóloga explica e pandemia é a justificativa

Foto Life

Por: Marco Osio Pugliesi
Cá entre nós, o que leva uma pessoa a reclamar da sonoridade da buzina de um trenzinho que tem como objetivo propiciar entretenimento e lazer às crianças? Ou a criticar o som produzido pelo alto-falante de um veículo que, de forma digna, oferece pamonha em tempos de pandemia e crise econômica?
A resposta não cabe a nós julgar, mas vale lembrar que todo trabalho de onde se provém o sustento é essencial. Ou não? Independente da opinião, uma coisa é fato: nunca houve tanta reclamação como agora em 12 anos da revista Aquarius Life. Isto mesmo. Existente desde 2009, a Aquarius Life jamais recebeu tantas queixas e desabafos sobre os mais diversos produtores de ruídos.
Seja o carro da pamonha ou a buzina do trenzinho, passando pela quadra onde se joga basquete, a tolerância anda realmente baixa pelo bairro. Nunca foi tão difícil viver em coletividade. Sobre o trenzinho, o proprietário informou que todos os procedimentos estão legalizados e devidamente autorizados pela prefeitura, inclusive por parte da vigilância sanitária. Os passeios ocorrem das 11h às 17h com paradas na praça Ulisses Guimarães e os decibéis, segundo o responsável, já foram medidos e estão bem abaixo do limite permitido.
Paralelo aos barulhos produzidos durante o horário comercial, existem as reformas nos estabelecimentos comerciais. Estas sim são capazes de atormentar. Veja exemplo na matéria abaixo.

Ninguém dorme. Farmácia em obras!
Moradores do entorno de uma farmácia situada na avenida Salmão tiveram problemas para dormir recentemente. O motivo foi uma obra executada em plena madrugada. “Foi um Deus nos acuda. Cheguei tarde e já fui dormir. Mas, eu não consegui dormir. É revoltante”, afirma o morador de um dos prédios afetados pelo barulho da obra.
Em nota, a Farma Conde informou que lamenta o ocorrido e que os reparos emergenciais realizados na sede da empresa foram feitos em caráter de urgência, decorrentes das fortes chuvas.

Basquete
Leitores reclamam do barulho produzido pela tabela de basquete na quadra da rua Heitor Vieira, além das palavras de baixo calão soltadas pelos frequentadores. “Eles jogam até altas horas, onze horas, às vezes passa da meia noite. O barulho da bola na tabela incomoda, mas o pior são os xingamentos e os palavrões. Em área pública, isto deveria ser proibido após às 22h. Quer falar bobeira e fazer barulho, que faça dentro de casa e não importune os outros que querem descansar. A reclamação não é à toa. Não é mi mi mi”, desabafa a leitora, Maria Carolaine Nassao.
Reclamações sobre barulhos na quadra da rua Heitor Vieira não são raros e ocorrem há muitos anos, conforme arquivo disponível em informa.life.
Questionada sobre o assunto, a secretaria de Esportes e Lazer disse que as quadras esportivas estão fechadas devido à pandemia da covid-19. Perguntada se teria, ao menos, como arrumar a tabela para que não fizesse mais barulho, a pasta respondeu que iria verificar. Esta matéria será atualizada em informa.life.

Prefeitura
A prefeitura informou que atividades com alto-falantes e buzinas não são permitidas porque descumprem a Lei Municipal 8.940, de 2013, que trata da perturbação do sossego público. Conforme nota, o Art. 1° determina que fica proibida a execução de ruídos, vibrações, sons excessivos ou incômodos de qualquer natureza, produzidos por qualquer forma, inclusive os gerados e propagados por veículo, ou que contrariem os níveis máximos de intensidade que caracterize perturbação ao sossego e o bem-estar público.

Loja que aluga carros também recebe reclamações
Leitores entraram em contato para informar que uma loja que aluga veículos vem incomodando os vizinhos. “Eles começam às 6h, inclusive aos sábados. É barulho de lavagem de carro, secagem, um grande descaso com quem mora ao lado, que não consegue descansar em paz”, conta uma moradora.
Segundo a Localiza, o estabelecimento está adotando medidas para minimizar o barulho, sendo que algumas atitudes já foram tomadas e outras serão adotadas em breve. Conforme a loja será construído um muro e criado ambiente exclusivo para o aspirador de pó. Ainda de acordo com o posicionamento, os trabalhos começam após às 8h.

Privação estimula sensibilidade

Por: Carolina Esteves Garcia
Psicóloga – CRP 122669

Há exatamente um ano passamos a ter que lidar com diversas restrições relacionadas ao contato social – além de perdas irreparáveis de pessoas queridas e empregos. Quando estamos em uma condição de privação, tendemos a ficar mais sensíveis aos estímulos no geral. Em privação, aumenta nosso impulso a comprar itens mais gordurosos ou desnecessários.
A mesma coisa acontece em relação à nossa tolerância. Quando temos acesso à atividades e condições que nos relaxam, conseguimos reagir de forma mais amena aos estímulos estressores. O isolamento social nos impôs a necessidade de transformar o espaço do lar em um ambiente em que tudo acontece: descanso, trabalho, estudos, atividade física e lazer. Como consequência disso, temos convivido muito mais com os ruídos uns dos outros.
Quem está errado? Não vejo que avaliar a situação dessa forma nos ajude a melhorar a convivência. É necessário que cada um de nós compreenda que teremos que tolerar mais nossos ruídos, porém, também precisamos nos responsabilizar pela paz uns dos outros. Enquanto permanecermos em isolamento, podemos postergar obras não urgentes, escutar música com fones de ouvido, forrar o piso com tapetes antirruído, para dar alguns exemplos.
Unidos, passaremos por esse desafio com mais serenidade!

LIFE | aquarius-life - Publicado 15:43 | - Redação

Compartilhe:

A LIFE INFORMA é um portal de notícias regionalizadas de São José dos Campos -SP.
Quer receber notícias pelo Telegram clique: Clique aqui Telegram
Acompanhe em nosso grupo de Whatsapp:  Clique aqui WhatsApp
Denúncias, reclamações e informações: Nossa redação 12 98187-2658
Siga nossas redes sociais: @lifeinforma
Nosso Canal no YouTube:
Entre aqui

Apple APP
Android APP

LIFE | ANÚNCIO DE PARCEIRO

Comentários:

44 thoughts on “Aquarius Life: Do ‘Carro da Pamonha’ à buzina do trenzinho, tolerância social em baixa no bairro!

  1. Terezinha Oliveira disse:

    Esse pessoal está achando que o mundo gira em torno de seus próprios umbigos. É preciso um pouco mais de tolerância! Nestes tempos difíceis existem coisas muito mais importantes pra se preocupar.

    • Bruno - oficial 👮‍♀️ disse:

      Terezinha, o sossego é importante! Quer bagunça? Vá para outro bairro!!!

    • Georges Christian Costaridis disse:

      Como, por exemplo, respeitar o direito dos outros né moça?

    • Johny Fernandes disse:

      A tolerância deve ser das duas partes, viver em sociedade requer regras a ser seguidas, caso contrário vira uma baderna total. O barulho incomoda tanto que existe lei sobre isso, falta aos barulhentos respeito, limites, bom senso.

  2. Claudia disse:

    Esqueceram de falar das irritantes máquinas de assoprar folhas (que só servem para fazer barulho e levantar poeira) e dos alarmes dos comércios que disparam e ninguém desliga..

  3. Raquel disse:

    O vídeo que vi da farmaconde fazendo reformas era da loja da Av. Cassiano Ricardo e não da Av. Salmão. Tem uma loja de motos ao lado. A da Av. Salmão tem é uma Igreja. 🤔

  4. Antonio disse:

    Uma boa janela, ar condicionado e muita Heineken! Agora é assim no Brasil, cada um por si!

    • Bruno - oficial 👮‍♀️ disse:

      Uma coisa é certa, melhor ter um ar portátil, que faz ruído, do que split silencioso! Sem o ruído do ar, ninguém dorme nesse bairro! Como é que a farmácia faz obra de madrugada? Onde está a prefeitura para multar? Eu não entro mais nessa farmácia!

      • Johny Fernandes disse:

        O dono da Farmaconde é amigo do prefeito,rssss.

  5. Silvana Sideratos disse:

    Eu creio que as reclamações aumentaram porque antes as pessoas não percebiam umas as outras devido suas ocupacoes e lazer. Hoje com essa nova condição de vida, acaba que a pequena a ação fora do padrão soa como liberdade. E na verdade a pandemia trouxe essa dor, a perda da liberdade. Uma buzina…. toques de bola na trave? Sempre aconteceram…. mas sera que a liberdade delas esta doendo em.mim? Abraço

    • Bruno - oficial 👮‍♀️ disse:

      Liberdade dos outros está doendo em mim? Que coisa brega! 🤯👮‍♀️

    • Georges Christian Costaridis disse:

      Chama o carro da pamonha e pede pra ele ficar até depoisdas 20h gritando sem parar ininterruptamente na frente da sua casa então. E aproveita chama o do gás mas explica que não pode fazer chamadas espaçadas, é pra ligar no modo sem parar também. As bolas na trave deixa com a gente. A minha liberdade vai exatamente até o momento em que eu tenho que respeitar a sua.

    • Rubens Filho falou e disse:

      Esta até que tentou filosofar, Mas, ficou só no tentar. rsrsrs

  6. Fstima disse:

    As reclamações só aumentaram pq nesse bairro todos “se acham” donos do mundo. Implicam com gatos e cachorros; crianças e artesãos. Deveriam relaxar pq embaixo de 7 palmos terão na eternidade o tumular silêncio

    • Bruno - oficial 👮‍♀️ disse:

      Mude-se! 👍

    • Georges Christian Costaridis disse:

      Exatamente por termos uma população tão conivente com tudo e não reagir a nada é que nunca saímos do 3º mundo né moça? Devemos lutar para que o povo tenha cada vez mais condições sociais e educacionais e não ficar justificando queda de tudo quanto é índice com briguinha de bairro enquanto os bacanas vão dividindo a grana lá no andar de cima e se lixando se tem ou não carro da pamonha na porta berrando sem parar. Ao invés de brigar para ter as mesmas condições preferem condenar quem um dia teve e agora não tem mais.

  7. Rubens Filho disse:

    Alguém pode me informar, se já está havendo alguma manifestação popular ?
    Porque passou um carro aqui na rua agora, convocando a população brasileira:
    🔊 *Pamonhas, Pamonhas, Pamonhas*

  8. Luiza Miranda disse:

    Bando de burgues ficam reclamando de quem quer sobreviver. Muito boa a materia do site, pois agora sei que nao devo levar meus clientes , que estao em busca de imoveis, nesses dias e horarios.
    Imagina eu tentando vender um apartamento de 1 milhao de reais e o cliente descobre que ele nao vai ter sossego na sua nova moradia.
    Valeu a dica.

    • Bruno - oficial 👮‍♀️ disse:

      Burguesia? 🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣 Somos trabalhadores minha filha! Só que somos qualificados! Acorda!

  9. Luiza Alcantara disse:

    Reclamam de quem quer sobreviver.

    Muito boa a materia do site, pois agora sei que não devo levar meus clientes , que estão em busca de imóveis, nesses dias e horários.

    Imagina eu tentando vender um apartamento de 1 milhão de reais e o cliente descobre que ele não vai ter sossego na sua nova moradia.

    Valeu a dica.

    • Bruno - oficial 👮‍♀️ disse:

      Luiza, esqueceu seu tarja preta?

    • Georges Christian Costaridis disse:

      Tá com dó Luíza? Leva ele pra frente da sua casa gritar ininterruptamente até depois das 20h então! E você, espertamente, para enganar alguém e pegar seu troco vai driblar a situação. Muito esperta! Afinal o importante é levar vantagem em tudo, certo?

  10. Fernando disse:

    Enquanto isto….motos com escapamento aberto reinam

  11. Valéria disse:

    Não é só a classe alta que tem do que reclamar não, moro no Buquirinha e festas com som e vozes altas, carros e motos incomodam profundamente. Tem os dois lados a intolerância como alguns falam e a necessidade de outros falar tão alto, músicas tão altas, carros de som tão altos e motos com escapamentos que fazem barulhos tão altos. Se alguns não entendem essa intolerância eu NÃO ENTENDO todo esse barulho.

  12. Bia disse:

    Eu sempre fui tolerante ao barulho do bairro, mas confesso que ando com vontade de pegar o cara do carro da pamonha na porrada. Sábado passado ele parou na porta da minha casa depois das 20h e ficou ali por 40min. Pqp!!!

    • Bruno - oficial 👮‍♀️ disse:

      Verdade; esse cara da pamonha é um saco! Não compro!!!!

  13. Carolina Silva de Abreu disse:

    Os animais de estimação entram em pânico nas manhas dos sábados e domingos, alguns tem de ser realocados aos finais de semana, por sofrerem de stress agudo, devido ao som estridente que afeta a audição dos animais. Os mais afetados são os cães que latem nas manhas de sábados e domingos, alguns animais que não podem ser deslocados para outros lugares, têm de tomar remédios antidepressivos e também calmantes. Já ouvi história de que um cão se jogou contra a área envidraçada da sacada, trincando-a e ferindo o pobre animal.

  14. sandro disse:

    aki na minha quebrada tem barulho de buzina , motores, bastante alarmes que disparam a noite inteira dos comercios , tem vizinho escandaloso que faz sexo sem menor nocao de constrangimento , tem cachorro latindo , tem mulekada do funk , ufa… estou sobrevivendo !!

  15. Bruno - oficial 👮‍♀️ disse:

    O Aquarius virou um inferno! Muita gente morando de aluguel; sem compromisso com o imóvel que vive! O bairro virou investimento, e que comprou imóvel para morar, está pagando a conta. No Grand Bali, tem 4-5 adolescentes que a noite usam a área comum para ouvir música alta, e ninguém faz nada! Intolerância? Me poupe! Pode ouvir música em casa, com fone de ouvido! Feliz de quem tem chácara!!!! O Aquarius está sendo favelizado!

    • Georges Christian Costaridis disse:

      Sim, aqui é a mesma coisa e depois que inventaram que ter um cãozinho é bom para amenizar a tensão desse raio de corona o prédio onde moro virou um canil. Socam o infeliz na sacada e que se dane o mundo, late até morrer se quiser. Fora os sem noção que compram filhote, jogam na sacada e o misrável fica a madrugada toda ganindo. Educação é um ítem em falta por aqui. Percebo a mesma situação de cada vez mais gente alugando imóvel ao invés de ser moradia própria e isso traz consequências ruins.

      • Bruno - oficial disse:

        Georges Christian Costaridis: só não concordo com as palavras sobre os animais. A razão de não concordar, é que a culpa não é do animal, mas do dono que é um CRETINO! Tem dono que deixa o animal fazer as necessidades na rua, e não recolhe, portanto, a culpa não é do animal, mas do PILANTRA do dono! O pobre do animal, não sabe o que fazer! Não culpem os animais; eles choram, pois sentem medo, sentem frio, sentem fome! O CRETINO do dono deveria ser chamado a atenção e no caso de não recolher fezes, tem que ser multado severamente!

  16. O Bruno é criado com a vó disse:

    Manda o carro do disk droga do Campos dos Alemães! Esse eu quero ver reclamar. Abraço!

  17. Georges Christian Costaridis disse:

    Peraí? Som produzido pelo alto-falante de um veículo que, de forma digna, oferece pamonha em tempos de pandemia e crise econômica? O sem noção toca ININTERRUPTAMENTE e em som acima do normal o slogan e até depois das 20h e vcs me vem com forma digna? Não moram no bairro né? Daqui a pouco é o carro dos ovos, dos produtos de limpeza e por aí vai. Marreteio é até tolerável mas façam suas chamadas em intervalos, numa altura de som decente e respeitem um horário compatível. Garanto que até Deus precisa ouvir a chamada do digno carro da pamonha.

  18. Marco Véio disse:

    Ninguém vai falar das pessoas que agora queimam incenso super fedido um atrás do outro? É muito pior que barulho pois em um dia sem vento infesta seu apto por uma hora.
    Queime seu incenso mas de janela fechada!

  19. Ligia disse:

    É carro da pamonha, é o trenzinho lá de baixo da Av Rio Branco, e o cara com carrinho vendendo não sei o quê com aquele estlilingue barulhento o dia todo. Olhando todos os prédios , hrum! Isso aqui não é o Rio de Janeiro ok?.

    • Rubens Filho falou e disse:

      No Rio de Janeiro não tem, rsrsrsrsr, carro de pamonha e nem trenzinho e nem o cara vendendo biju ( aquele estlilingue barulhento ) é matraca o nome. Esperem chegar as eleições com os carros de som e marqueteiros !???? rsrsr Incenso é para disfarçar a “maresia”. Os bichos não tem culpa pelos latidos irritantes. Mas, que incomodam, incomodam.
      Pelas reclamações vê-se que cada vez mais São José dos Campos se afastando daquela cidadezinha do interior com sua peculiaridades ( calma, conservadora, onde todos se cumprimentam e se respeitam, desconfiado, permissiva e bucólica) e fica parecendo cada vez mais com a capital paulista ( CaÓtica, progressista, individualista, intolerante e “ranzcinza”)
      Cara! sério! chega ser divertido e enriquecedor ler os comentários do LifeInforma. Todos relevantes.
      “Posso não concordar com nenhuma das palavras que você disser, mas defenderei até a morte o direito de você dizê-las.” Voltaire
      Os The Bests: Georges Christian Costaridis , Bruno – oficial 👮‍♀️, TightPanties, Antonio PET, eu e Ligia.
      A equipe da Life deve rir pra caramba da gente. E TOCA O BARCO. 🖖Vida longa e próspera a todos. Se odiando ou não.

  20. Rubens Filho falou e disse:

    “os incomodados que se mudem”
    Não deveria ser o contrário, já que os que de fato incomodam geralmente são os que gratuitamente desrespeitam ao próximo e as normas mínimas de convivência social?

  21. Rafael disse:

    Carro da pamonha 20:30 A.M. com uma corneta altíssima, parado na frente do meu endereço vários minutos , não somente para a proximidade ouvir, mas o bairro inteiro ouvir, e minha bebê chorando pq não consegue dormir. Ok, vou tentar ser mais tolerante. Pode deixar, 08:30 AM, mas Ok.

    • Bruno - oficial 👮‍♀️ disse:

      Rafael, isso pq vc não mora próximo ao lixo chamado Gran Bali!!! Esse Gran Bali é a versão da Torre de Babel! Um lugar de gente vagabunda e vulgar!

      • Rubens Filho disse:

        Realmente. Entrei nos comentários do Google deste edifício. Muita gente reclamando.
        Será que é assim em todos os condomínios?

      • Rafael disse:

        Não moro perto não.

  22. Rubens Filho falou e disse:

    20:30 A.M ??… É à noite ou de manhã?
    Já tentou descer e conversar com o vendedor de pamonhas? Tem os dias certos que ele passa? Sugerir com argumentos de forma calma um horário mais tarde ? Dar alternativas ou ideias para satisfazer a ambos?
    Agora se não der certo, aí mermão! ! Há outras opções.

    • Rafael disse:

      20:30 A.M ??… É à noite ou de manhã? . Deduza meu amigo, sua inteligencia é maior que sua impetuosidade com um equívoco irrelevante dentro do contexto.

  23. David disse:

    Quem defende barulho ou qualquer tipo de infração da lei não deveria nem ter direito a opinar.

    Existe uma linha tênue entre debate dentro da lei e crime. No caso do crime não há o que debater, apenas punir. Caso não concorde, a cada 4 anos pode-se escolher um representante para mudar isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *