Com quatro mortes confirmadas, febre maculosa causa temor em São José

Ainda há um paciente internado com a doença diagnosticada; suspeita de contaminação das vítimas no Parque da Cidade pelos carrapatos das capivaras

São José dos Campos está em alerta contra a febre maculosa. Quatro pessoas morreram na cidade nos últimos dias em decorrência da doença. Um homem, de 64 anos, encontra-se internado no Hospital da Vila Industrial com a doença já constatada. Os números foram confirmados pela Vigilância Epidemiológica.

A febre maculosa é transmitida pelo carrapato-estrela, encontrado em cavalos, bois e capivaras, mas também em animais domésticos como cães, roedores e aves. O carrapato transmite a doença em contato com a pele humana. A suspeita é que as vítimas tenham contraído a doença no Parque da Cidade, localizado na zona norte do município. No local há muitas capivaras e é comum frequentadores terem contato direto com esta espécie de artrópode.

Segundo a prefeitura de São José dos Campos, desde 2007 haviam sido registrados cinco casos da doença, sendo apenas um com morte, em 2013.

Prevenção – Foram reforçadas as ações de prevenção e orientação à população sobre a febre maculosa. Nesta terça-feira (28), o Parque da Cidade recebeu a aplicação de carrapaticida em áreas de maior movimentação de pessoas: nas proximidades do Galpão Gaivota, no jardim da Casa Olivo Gomes, em pistas de caminhada e ao redor do lago, onde vivem as capivaras.

Esse trabalho é feito periodicamente pela Secretaria de Manutenção da Cidade, que também utiliza galinhas-d’angola para combater a praga. A infestação de carrapatos no Parque da Cidade é um fenômeno recorrente, principalmente em períodos frios.

Além da pulverização, a prefeitura também instalou por todo o parque banners com orientações sobre os cuidados que os frequentadores devem tomar em relação aos carrapatos.

As equipes do Centro de Controle de Zoonoses realizaram no local uma análise acarológica nas áreas próximas ao lago. Ela vai permitir conhecer qual é a espécie de carrapato e se há exemplares contaminados com a bactéria que causa a febre maculosa. O material foi encaminhado para análise da Sucen (Superintendência de Controle de Endemias), que vai indicar se estão infectadas ou não.

A doença – A febre maculosa não é transmitida de pessoa para pessoa. A febre maculosa brasileira é adquirida pela picada do carrapato infectado com Rickettsia e a transmissão, geralmente, ocorre quando esse carrapato permanece ou esteve aderido ao hospedeiro por um período de 4 a 6 horas.

O hospedeiro mais comum desse carrapato é a capivara. Por isso é importante evitar o contato direto com elas. Por outro lado, não é só esse roedor que abriga o carrapato. Animais de grande porte, como cavalos, também podem representar riscos.

O diagnóstico e início imediato do tratamento são essenciais para evitar as formas mais graves da doença e até mesmo a morte. A febre maculosa tem cura.

Após a picada do carrapato, os sintomas começam a aparecer entre 2 e 14 dias (média de 7 dias). 

Os principais sintomas são: dor de cabeça, dor no corpo, febre, calafrio e pontinhos avermelhados nas mãos e pés. Nesse caso, procure a unidade de saúde mais próxima e avise o médico se você frequentou parques, matas, florestas, rios, lagos e cachoeiras.

LIFE | saude - Publicado 10:10 | - Redação

Compartilhe:

A LIFE INFORMA é um portal de notícias regionalizadas de São José dos Campos -SP.
Quer receber notícias pelo Telegram clique: https://t.me/lifeinform
Denúncias, reclamações e informações: Nossa redação 12 98187-2658
Siga nossas redes sociais: @lifeinforma

Apple APP
Android APP

LIFE | ANÚNCIO DE PARCEIRO

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *