Por dentro do TDAH

Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade é a condição crônica de saúde de maior prevalência em crianças na idade escolar

Atenção, pais. Com desatenção e hiperatividade não se brinca. Poucos sabem, mas o TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade) é o distúrbio neurocomportamental mais comum na infância. Em números, estima-se que 3% a 6% da população em idade escolar apresente algum sintoma de TDAH.
“No que se define como ‘desatenção’ os principais sintomas consistem na dificuldade em prestar atenção a detalhes ou errar por descuido em atividades escolares, desatenção em tarefas ou atividades lúdicas, não escutar quando alguém lhe dirige a palavra, não seguir instruções e deixar tarefas inacabadas, desorganização em atividades, não se envolver em ações que exigem esforço mental constante, perder material necessário para tarefas e apresentar esquecimento em hábitos diários”, explica o neuropsiquiatria, Carlos H. Ferreira Banys.

Já os sintomas de hiperatividade concentram-se no perfil de inquietude como agitação de mãos e pés, não ficar parado na cadeira, abandonar a sala de aula mediante situações em que deveria estar sentado, correr em demasia durante situações inapropriadas e dificuldade de brincar silenciosamente. “Completam o quadro a criança ou adolescente que fica frequentemente a ‘mil por hora’ e fala em demasia”, acrescenta o especialista. O diagnóstico do TDAH é apontado com a reunião de pelo menos seis sintomas de desatenção e hiperatividade. “É importante considerar a duração dos indícios, a frequência e intensidade dos mesmos e o grau de prejuízo no desenvolvimento do afetado. A avaliação do diagnóstico deve envolver os pais, a criança e os professores”, ressalta.
Segundo o médico, o TDAH com predomínio de desatenção resulta em elevadas taxas de prejuízo acadêmico. Já a preponderância de hiperatividade conduz à rejeição e impopularidade frente aos colegas. “O mesclado ocasiona sintomas de conduta, oposição e desafio”, enfatiza. Dentre as principais consequências do transtorno destacam-se a baixa autoestima e interferência no desenvolvi-mento educacional e social – além da predisposição a distúrbios psiquiátricos.
Apesar de prevalecer na infância, o psiquiatra conta que o TDAH também ocorre nos adultos. “De 60% a 80% dos casos na infância permanecem na fase adulta. Os sintomas são bem similares. Estima-se que 4% dos adultos possam sofrer de TDAH. 11% das crianças hiperativas têm um dos pais com tal diagnóstico”, comenta.

LIFE | saude - Publicado 08:16 | - Redação

Compartilhe a Life Informa:

A LIFE INFORMA é um portal de notícias regionalizadas de São José dos Campos -SP.
Acompanhe em nosso grupo de Whatsapp:  Clique aqui WhatsApp
Quer receber notícias pelo Telegram clique: Clique aqui Telegram
Denúncias, reclamações e informações: Nossa redação 12 98187-2658
Siga nossas redes sociais: @lifeinforma
Nosso Canal no YouTube: Entre aqui

Apple APP
Android APP

LIFE | ANÚNCIO DE PARCEIRO

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *