Por dentro da catarata canina

Causa mais comum da doença ocorre pela idade avançada do animal; poodle é a raça que apresenta maior pré-disposição genética

Como uma câmera os olhos possuem uma lente (cristalino) no interior, utilizada para propiciar foco. A catarata – doença oftálmica – é a opacificação das fibras ou da cápsula da lente, ou seja, deixa a visão desfocada. É uma enfermidade que pode ser originária de problemas congênitos, glaucoma, doença do carrapato, traumas, inflamações intraoculares crônicas, diabete, erliquiose, pelo processo natural de envelhecimento ou por um defeito hereditário recessivo; estes últimos são as causas mais comuns.
“Devido à predisposição genética, cães da raça poodle são os mais propensos a desenvolver catarata”, afirma o veterinário Roberto Takeo Shinkai. Caso a catarata já esteja estabelecida, a cirurgia é a única solução.
“Mas é preciso avaliar uma série de questões, como por exemplo, a origem da catarata. Se for consequência de glaucoma, não compensa operar, já que pode ocorrer deslocamento da retina e perda da visão. O ‘fator idade’ também deve ser levado em conta. É recomendado que cachorros com mais de 10 anos não façam a cirurgia. Agora em poodle com cinco ou seis anos, cuja catarata não tenha sido ocasionada pelo glaucoma, a operação é recomendável. O cachorro volta a enxergar o suficiente para não bater nas coisas”, destaca o veterinário.
Após a cirurgia, o cachorro utiliza um “tampão” para proteger os olhos, colar elizabetano e medicamentos como antiinflamatório e antibióticos. “Se a catarata for decorrência de erliquiose ou glaucoma, dá para prevenir. A partir de cinco anos pode ser feita e medição da pressão intraocular. Agora se a catarata for natural da idade avançada, não há prevenção”, expõe.
E acrescenta. “Os sentidos mais apurados nos cães são o olfato e a audição. O animal se vira bem com a visão prejudicada. É possível manter a qualidade de vida. Uma dica é não alterar muito o ambiente em que o cachorro está habituado a viver”, complementa. A catarata é uma doença perceptível aos donos. Um sinal claro é a cor branca azulada na íris, o que deixa o olho com um visual meio opaco, esbranquiçado. Já nos felinos a catarata é muito mais rara. “Devido ao fator genético dos gatos, é muito difícil encontrar um gato com catarata”, encerra Shinkai.

LIFE | cotidiano - Publicado 08:45 | - Redação

Compartilhe a Life Informa:

A LIFE INFORMA é um portal de notícias regionalizadas de São José dos Campos -SP.
Acompanhe em nosso grupo de Whatsapp:  Clique aqui WhatsApp
Quer receber notícias pelo Telegram clique: Clique aqui Telegram
Denúncias, reclamações e informações: Nossa redação 12 98187-2658
Siga nossas redes sociais: @lifeinforma
Nosso Canal no YouTube: Entre aqui

Apple APP
Android APP

LIFE | ANÚNCIO DE PARCEIRO

Comentários:

One thought on “Por dentro da catarata canina

  1. Grazielli disse:

    Bom dia! Tenho um poodle com 8 anos,e sempre foi mto brincalhona. Há uns 3 – 4 anos atrás começou a desenvolver uma “crosta” nos olhos dela. Ela sempre acordava com os olhos pregados, tinha uma produção acentuada de secreção. Com o passar do tempo, formou-se uma mancha cinza que foi só agravando. Como a cidade é pacata, a deficiência de médicos na área é escarce e os que existem não souberam informar exatamente o que era, só disseram que era normal em poodle. Hoje aos 8 aninhos ela não enxerga, o focinho já está todo deformado por esbarras nas paredes, móveis, etc.. Ela já usou vários medicamentos como clorafenicol, tetraciclina, dentre outros. Se poder nos ajudar através de alguma informação, diga, se ainda há cirurgia pra esses casos, seria de grande ajuda. Obrigada!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *