Juntos por um bairro melhor e mais higiênico

Irresponsabilidade com fezes de animais ameaça a saúde pública e aumenta o risco de zoonoses

A cena é frequente. Cães esbeltos e muito bem cuidados passeiam com seus respectivos donos pela ampla e arborizada Praça Ulisses Guimarães. Mas o que deveria ser um simples hábito diário pode representar grave ameaça à saúde pública do bairro. E por irresponsabilidade de muitas pessoas que simplesmente ignoram as fezes deixadas pelos animais.
“As chuvas rotineiras causam alagamentos e contribuem com grande relevância para a proliferação das zoonoses, infecções e doenças que podem ser adquiridas através de contato com animais de estimação”, afirma o veterinário da clínica Pet Company, Roberto Takeo Shinkai. Segundo o especialista, é imprescindível o recolhimento das fezes, além de manter atualizadas as vacinas V8 e V10.
“Uma das doenças mais graves é a leptospirose, transmitida pela urina do rato, cuja disseminação aumenta nos dias quentes. Ela também pode ser transmitida através da urina do cachorro contaminado. Existem vacinas próprias para prevenir leptospirose”, explica, antes de enfatizar a forma de transmissão da moléstia. “Ela age de forma ativa, ou seja, penetra diretamente na pele, não precisando de feridas. Pode resultar em falências renal e hepática, tanto em cachorro como humano. Os sintomas variam e consentem em crises de vômito, mucosas amareladas e hemorragias. Outras doenças comuns em áreas de lazer são a toxoplasmose e o bicho geográfico”, acrescenta.
O odor originado pelas fezes em decomposição, apesar de extremamente desagradável para os “padrões” humanos, atrai os cães. Conforme abordagem do veterinário Marcos Issao Teraoka, o olfato é o sentido mais utilizado pelo animal no momento de reconhecer o ambiente.
“Cheirando as fezes, que concentram moscas e baratas, o cachorro pode ser contaminado por diversos vermes. As larvas das moscas são fontes de infecção. Miíase, popularmente conhecida como bicheira, e berne são alguns exemplos bem comuns. A conscientização da população é essencial para a preservação e bem-estar das áreas de lazer e praças públicas”, frisa.
Cuidados redobrados nas áreas públicas – Áreas verdes podem representar uma grave ameaça à saúde dos cachorros – caso não sejam adotados certos cuidados. “A larva do bicho geográfico não sobrevive ao sol e se acomoda nas sombras, justamente onde há maior concentração de pessoas e animais. Outro risco é a dirofilária, que tem o pernilongo como vetor. Como em áreas verdes existem muitos vira-latas, a disseminação se torna fácil”, frisa Roberto Takeo Shinkai.
Outra preocupação é a leishmaniose. “Em humanos esta doença pode ocasionar falência múltipla dos órgãos”, expõe. Na opinião do especialista, o ideal é realizar uma prevenção mensal, já que o efeito do vermífugo – que é um medicamento preventivo e não curativo – dura em média 30 dias. “A maioria das pessoas não faz exame antes de dar vermífugo, o que coloca a saúde do cachorro em risco”, esclarece. Apear da fama de “transmissor de doenças”, o cão saudável e bem cuidado não oferece perigo nas áreas públicas. “O problema é que apenas 10% são devidamente tratados com orientação veterinária. O bom senso é que deve ditar as regras. Não é agradável soltar o animal. Ele pode incomodar pessoas, defecar, brigar com outros cachorros e até atacar humanos”, encerra.


Conscientização
– O Jardim Aquarius possui uma praça linda e arborizada, certamente uma das mais imponentes da cidade, mas que rotineiramente vive infestada de fezes de cães e gatos. É pedir muito para que cada um recolha os dejetos do seu “melhor amigo”? O cidadão não é informado o suficiente para saber do sério risco da transmissão de graves doenças? Isso sem contar a simples questão de educação!

 

LIFE | aquarius-life - Publicado 11:07 | - Redação

Compartilhe:

A LIFE INFORMA é um portal de notícias regionalizadas de São José dos Campos -SP.
Quer receber notícias pelo Telegram clique: Clique aqui Telegram
Acompanhe em nosso grupo de Whatsapp:  Clique aqui WhatsApp
Denúncias, reclamações e informações: Nossa redação 12 98187-2658
Siga nossas redes sociais: @lifeinforma
Nosso Canal no YouTube:
Entre aqui

Apple APP
Android APP

LIFE | ANÚNCIO DE PARCEIRO

Comentários:

4 thoughts on “Juntos por um bairro melhor e mais higiênico

  1. Ma disse:

    COm todo respeito à matéria de vcs, mas achei um exagero!
    Sou moradora da praça e frequento com meu cachorro todos os dias 3 x ao dia, temos sim casos de pessoas irresponsáveis que não recolhem, porém não é maioria. A forma como abordaram o assunto fez parecer q a praça está um lixo, e que virou um risco à população…o que não é o caso!
    Nosso grupo de DogLovers do Aquarius preza muito pelo cuidado e proteção da praça como um todo! Cuidamos em todos os sentidos, afinal este é o nosso quintal!
    Não temos coragem de deixar os dejetos dos nossos animais em hipótese alguma, mas infelizmente temos alguns visitantes que não pensam assim. Quando vemos e flagramos algo do tipo, conversamos e conscientizamos. Mas isso não faz da nossa praça uma ameaça da forma como foi colocada!
    Leptospirose… meu Deus! Não estamos falando de cães abandonados e sem vacinas frequentando a praça! Estamos falando de cães (em sua grande maioria) que são muito bem cuidados em questão de saúde!
    Desculpem o desabafo! Mas foi pesada demais a colocação de vcs!

  2. NATHALIA NOGUEIRA LONGO disse:

    A quem interessa colocar essa pauta de uma forma tão pretensiosa assim? Pq moro no bairro, frequento a Praça no mínimo 2x ao dia e parece que não falamos do mesmo local.
    Se estivessem falando sobre os corredores verdes concordaria… pq existem muitos donos irresponsáveis que nao recolhem as fezes deixadas la e se fazem de cegos…
    Participo de um grupo (DOGLOVERS) e todos são muito cientes e conscientes de que higiene é fundamental e zelamos por isso.
    A capa parecia “inofensiva”, mas a maneira colocada na matéria fez parecer que a Praça é frequentada por cachorros abandonados e doentes… um absurdo.
    Inclusive já foi discutido sobre a importância de colocarem placas na mesma sobre a importância de recolher os dejetos para que os visitantes de outros bairros que vão la principalmente aos fins de semana tomem mais cuidado com a Praça, mas isso não por necessidade de ver a Praça constantemente suja, mas pelo cuidado e vontade de ver ela sempre bem cuidada.

  3. Ana Lia Lopes disse:

    Achei exagerada essa matéria! Nós que fraquentamos sempre a praça fazemos questão de mantê-la limpa! Afinal, queremos nossos cães e filhos livres de contaminações! O que eu vejo muito é ponta de cigarro e lixo no chão.
    Nós que usamos sempre a praça, prezamos pela limpeza e conservação! Não teríamos coragem de deixar os dejetos dos nossos cachorros onde frequentamos todos os dias.

  4. Luiz Silva disse:

    A mensagem dada deve ser sim observada com mais cuidado e vigilância. Não somente a praça, mas, inúmeras calçadas no Jardim Aquarius, são banheiros destes bichinhos de estimação. É fato! Tenho que admitir que ter de desviar de xixi de cachorros e as vezes fezes para o meu caminho do trabalho diariamente, é algo inconcebível. Fora o forte cheiro que após seco, estes emitem. É hora de repensar sim e, sobretudo deixar claro, que dono educado, tem seu cachorro educado. Por que não fazerem estas necessidades em casa? Hoje existem adestradores para este fim! Meus amigos fizeram isto! Perfeitamente possível! Tenho filhos pequenos e ter de ir com os mesmos no colo em calçadas e sim na Praça em Alguns Locais, é um inconveniente que não gostaria de ter de tê-lo no meu cotidiano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *