LIFE | ANÚNCIO DE PARCEIRO

Esperança e desespero: A realidade da comunidade Menino Jesus

Compartilhe a Life Informa:

Esquecida pelo poder público, comunidade joseense tem crianças felizes, comércios, trabalhadores e esperança de regularização; ameaça de despejo leva pavor às 300 famílias, sendo que muitas delas moram há mais de 15 anos no local

Cerca de 300 famílias vivem na comunidade / Foto: Life

Em meio à “Cidade Inteligente” de São José dos Campos, uma comunidade inteira luta bravamente por sua existência. A comunidade “Menino Jesus”, localizada no fundo das Chácaras Reunidas, quase na divisa com Jacareí, abriga cerca de 300 famílias que ocupam uma área particular há mais de 15 anos. Agora, essas famílias estão sob a ameaça iminente de uma reintegração de posse.

Fique por dentro de tudo o que acontece em São José dos Campos e região em nosso portal informa.life. Para ter a notícia mais rápida, junte-se ao nosso canal do WhatsApp ou aos nossos grupos de avisos rápidos.


Poucos joseenses conhecem a comunidade “Menino Jesus”, quase na divisa com Jacareí

Poucos dos cerca de 750 mil habitantes da cidade conhecem a realidade dessa comunidade. A “Menino Jesus” é composta por pessoas trabalhadoras, crianças felizes e uma esperança constante de regularização, mas permanece esquecida pelo poder público. “Nunca vi ninguém da prefeitura aqui, nem vereador, nem nada. Somos completamente esquecidos, é como se não existíssemos na cidade,” afirma Jéssica, de 25 anos, que mora com seu esposo e filhos de 9 e 3 anos. Desempregada, Jéssica sobrevive com o auxílio do Bolsa Família.

Humildade, felicidade e esperança; sentimentos que norteiam moradores da “Menino Jesus” / Foto: Life

A Life visitou a comunidade a convite de um membro da Pastoral Sagrada Família, que fica na Vila Ema. Ao conversar com os moradores fica explícita uma mistura de sentimentos como felicidade, humildade e esperança. “Temos pouco, mas somos felizes. Aqui meu filho solta pipa e anda de bicicleta sem perigo. Ele estuda, assim como outros meninos da comunidade, em escolas próximas. Também temos posto de saúde e hospital por perto. Gostamos daqui, queremos apenas a regularização da área,” destaca Kétlin, líder da associação dos moradores, que vive na comunidade há 8 anos com seu marido e filho, e recentemente conseguiu emprego em um restaurante próximo.


“Nunca vi ninguém da prefeitura aqui. Nem vereador”, lamenta moradora / Foto: Life

Grupos de evangelização e entidades religiosas são os únicos apoiadores da comunidade, oferecendo doações, assessoria jurídica e organizando eventos. “Fazemos tudo de coração! Conheci a comunidade e ajudo do jeito que posso, mas tem gente que ajuda muito mais. É lamentável uma cidade rica como São José dos Campos ter uma comunidade tão grande esquecida pelo poder público. Aqui temos crianças, gente trabalhadora, pessoas do bem, que não têm para onde ir,” desabafa Gabriel R. Neto, membro da Pastoral da Sagrada Família e morador do Jardim Aquarius, na próspera zona oeste de São José. “Faço questão de trazer meus filhos para eles vivenciarem a realidade da nossa cidade, que a grande maioria desconhece. É um choque de realidade. Meus filhos ficaram sensibilizados e também auxiliam sempre que podem”, complementa Gabriel.

Comércios fazem parte do cenário da “Menino Jesus”

Senhora Edijane, uma das moradoras mais antigas, fala sobre sua vida na comunidade: “Moro com meu neto de 6 anos. Somos felizes aqui. Todo mundo se ajuda. Agradeço a atenção da Defensoria Pública. Os defensores são os únicos que ouvem a gente nesta cidade”, relata. Durante nossa visita, fomos acompanhados pelo jovem “Baiano”, de 14 anos, que, com sua bike, nos mostrou a comunidade. Baiano, assim como muitos outros, aproveita as férias da escola brincando pelas vielas, sempre com um sorriso típico de adolescente.

Armazém “Menino Jesus” na Comunidade “Menino Jesus” / Foto: Life

Na quarta-feira (3), centenas de moradores, incluindo muitas crianças, foram à Defensoria Pública buscar ajuda para evitar o despejo. Para alívio dos moradores, a Justiça suspendeu a ordem de reintegração devido a várias irregularidades no processo. A ação trouxe um respiro para a comunidade, mas a incerteza ainda paira no ar.

Evangelização em casa na comunidade: palavra de Deus leva esperança às crianças, que vivem felizes pelas vielas

“A desocupação do Pinheirinho serve de exemplo para que erros do passado não se repitam. É surreal que uma cidade tão rica como São José dos Campos ignore a existência de uma comunidade tão grande,” comenta um morador. Os moradores da “Menino Jesus” vivem na esperança de que as autoridades finalmente enxerguem suas necessidades e trabalhem pela regularização da área que ocupam.

Prefeitura

A reportagem procurou a prefeitura. Em nota, a administração municipal informou apenas que não faz parte do processo.

Veja também

Incêndio destrói casa no Bosque dos Eucaliptos em São José dos Campos

LIFE | ANÚNCIO DE PARCEIRO

A LIFE INFORMA é um portal de notícias regionalizadas de São José dos Campos e Vale do Paraíba – SP.
Receba notícias na palma da sua mão, entre em nossos canais e facilite sua comunicação!
Para entrar no grupo Whatsapp: clique aqui
Nosso Novo Canal Whatsapp: clique aqui
Para entrar no canal Telegram: clique aqui 
Para seguir pelo Instagram: clique aqui
Para entrar no canal no YouTube: clique aqui
Denúncias, reclamações e informações:
Nossa redação 12 98187-2658

5 Respostas

  1. Realmente é triste esta situação, mas também não da para condenar a prefeitura.
    O poder público deve sim olhar para este tipo de situação e buscar uma solução que atenda a todos.
    Porem acredito realmente que é um caso como este que mostra que não se deve fechar os olhos para ocupações irregulares, evitando que se chegue a este ponto.
    A solução talvez seja a de se encontrar casas populares que eles possam habitar, com algum subsidio.
    Rezo para que se chegue a uma solução que atenda estas famílias

  2. Estranho o título da reportagem, conforme relatos dos próprios moradores do local se dizem felizes de viver na comunidade, tem assistência médica e demais auxílios, a quem interessa essa afirmação que a comunidade está em completo abandono?! Esse país tem de criar vergonha na cara e parar de usar os humildes como massa de manobra para interesses particulares.

  3. A prefeitura de São José e uma bosta, uma merda, gente que não dá pra se chamar de gente, bando de gananciosos, escrotos, gente suja imunda ocupando cargos públicos, deveriam deixar as pessoas menos favorecidas em paz ou dar uma moradia digna para cada um antes de querer derrubar o barraco deles, bando de escroto, gestão demoniaca suja imunda, gente podre, vão todos pro inferno, deixa o pobre em paz, ninguém vai pagar impostos pra vocês não bando de infeliz, prefeitura de São José dos Campos e um lixo

    1. Será que esta pessoa não é alguém dos patrocinadores de invasões? Pois, pelo visto, ou é marxista ou anarquista que vive como sanguessuga social.
      A nação precisa é de ‘Ordem’ para que dê condições igualitárias a trabalhadores que lutam pelo ‘Progresso’

  4. Põe um lado, triste realidade. Mas por outro, como deve se tratar de uma invasão. E sabe-se que quase todas invasões são patrocinadas por esquerdistas treslocados. O que a prefeitura deveria ter feito seria ter coibido a invasão no início. Então, se se legalizar a invasão, alguém terá qua pagar só proprietário. E estarão abrindo portas para outras tantas.
    Não tem outra saída, a não ser que as “ricas” pastorais paguem pela propriedade e doem à comunidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia Também

Nosso e-mail: contato@informa.life | 12 98187-2658
Life Informa | São José dos Campos – SP
Avenida Cassiano Ricardo, 601 / Sala 123
Edifício The One – Jardim Aquarius
São José dos Campos – SP – CEP 12.246-870