Aquarius Life: Moradora é agredida por entregador de aplicativo. Veja vídeo! 

Discussão teve início entre porteira e entregador; moradora interveio e acabou agredida e teve o celular quebrado na rua Heitor Vieira Júnior

Uma moradora da rua Heitor Vieira Junior, no Jardim Aquarius, zona oeste de São José dos Campos, foi agredida por um entregador de aplicativo na tarde desta segunda (8). A agressão ocorreu próxima a um prédio da rua. Segundo a mulher a discussão teve início entre o entregador e a porteira do prédio.

Estava saindo para trabalhar, dei boa tarde para a porteira, mas ela estava no interfone e segui. Quando fui abrir a porta, recuei, pois tinha um motoboy bem alterado do lado de fora. Ouvi a porteira falando: “moço eu dei boa tarde, você não ouviu, mas preciso do número do apartamento”. Então ele continuou gesticulando, mas não ouvi o que ele disse, e ela novamente disse: moço não adianta discutir se eu dei boa tarde ou não, eu preciso saber qual é o apto. E ele sai gesticulando e gritando para consertar essa “bosta” (que seria o interfone). Talvez por estar com a touca ninja não tenha ouvido o “boa tarde” da porteira. Em seguida, gesticulei para ele perguntando o que foi?. Então ele mandou a gente se foder e fez gestos obscenos, foi então que puxei o celular para fotografar e avisar ao estabelecimento. O morador desceu, ele falou bem tranquilo com o morador que perguntou se ele estava em um bom dia, ele respondeu que tava de boa, então o morador disse pra ele se desculpar conosco, ele passa, faz o gesto de desculpa com a mão, sobe na moto, mas não vai embora.
Então resolvi sair e seguir para o trabalho, somente depois que eu saio, ele saiu também. Ele viu que o outro funcionário estava olhando, e talvez pelo fato da rua ser contramão, deu a volta no quarteirão, e me abordou na praça dizendo que eu falasse o que tinha falado, no prédio. Então eu disse que tava perguntando se ele tava louco pra ficar alterado daquele jeito, e ele disse: filma agora que você está sozinha. E insistiu, “filma pra ver se eu não quebro esse celular”. Então tirei o celular e comecei a filmar (vídeo com áudio). Quando eu fui filmar a placa para tentar identifica-lo, ele pegou o celular da minha mão com violência e jogou duas vezes no chão, estraçalhou o celular que inclusive não funciona mais. Depois disso, subiu na moto para ir embora. Talvez ele achasse que por eu ser mulher não iria reagir, foi então que não consegui segura-lo e empurrei na moto, afinal é fácil quebrar o celular e sair como se não tivesse ocorrido nada. Somente nesse momento alguns homens chegam para ver o que está acontecendo. Eu mantenho segurando o motoboy para ele não ir embora e peço para um dos homens chamar a polícia e outro tirar a chave da moto para que ele não fugisse até que a polícia chegasse, foi então que ninguém fez nada e ele foi embora, pois não consegui mais segura-lo sozinha. Quando me refiro a não fazer nada, não significa que deveriam agredir ninguém, mas que todos ficássemos aguardando a polícia, afinal foi outra mulher que passou e me ajudou.”, explicou a mulher, de 33 anos.

Em seguida, fomos na delegacia da mulher, no aquárius, chegando lá informaram que lá só fazem atendimento em caso de agressão domestica ou sexual.
Friso ainda que não tomei as dores da porteira até porque ela não estava discutindo, mas questionei o que estava acontecendo, pois precisava sair para trabalhar. Imagino que a maioria há de concordar que ver um homem com touca ninja gritando e gesticulando na porta onde você está saindo não é normal, e não sabemos se de fato é motoboy ou ladrões disfarçados, como tem sido muito comum. Nesse caso era apenas um motoboy em um dia ruim, talvez, mas poderia ser um ladrão disfarçado. Outro ponto importante é que recebemos diariamente inúmeros motoboys no prédio, educados e nunca tivemos problemas.” completa.

A mulher realizou exame de corpo de delito e registrará o Boletim de Ocorrência na terça (9). A Life tentou contato com o restaurante e o motociclista, mas não obteve sucesso.

Versão da Porteira

O motoboy apertou o interfone, e falou boa tarde. Eu respondi o boa tarde dele e ele ficou me encarando. Aí eu falei, moço qual é o apartamento? Ele falou você não vai me da boa tarde não? Aí eu respondi, moço eu já te dei boa tarde. Aí eu falei, moço qual o apto? E ele respondeu gritando, você tá estressadinha? Eu respondi, moço não adianta vc ficar discutindo se eu sei ou não boa tarde eu preciso do número do apto. Ele falou o numero do apto na raiva e disse manda arrumar essa bosta aqui. Nessa a moradora viu a agressividade dele e perguntou pra mim o que tava acontecendo. E perguntou pra ele pq ele tava gritando assim. Ele não tirou tirou a toca ninja de jeito nenhum. E quando morador que é homem chegou, ele falou bem tranquilo, nem parecia a mesma pessoa falando comigo. O morador falou para ele pedir desculpa pra gente, ele passou gesticulou com mão pedido de desculpa e subiu, mas não foi embora. Quando a moradora saiu, ele ficou encarando ela. Ficamos de olho, eu e o zelador, mas ele foi para o outro lado. A rua contramão. Uns 15min depois a moradora voltou com uma moça, estava machucada e o celular despedaçado“. relata a porteira

Observação: O motociclista não estava trabalhando para o restaurante “Os Masseros” no caso onde o motociclista estava com a bag com a marca da empresa. Segundo o restaurante, que não abre na segunda, eles trabalham com uma equipe de motoboy terceirizado, o horário de funcionamento é de terça a domingo das 18h às 23h30. Por tanto, neste ocorrido o motoboy não estava prestando serviço para esta empresa que aparece na bag. “Lamentamos pelo ocorrido, já foram tomadas as medidas para este entregador junto a empresa responsável pela nossa logística”.

LIFE | aquarius-life - Publicado 22:07 | - Redação

Compartilhe a Life Informa:

A LIFE INFORMA é um portal de notícias regionalizadas de São José dos Campos -SP.
Acompanhe em nosso grupo de Whatsapp:  Clique aqui WhatsApp
Quer receber notícias pelo Telegram clique: Clique aqui Telegram
Denúncias, reclamações e informações: Nossa redação 12 98187-2658
Siga nossas redes sociais: @lifeinforma
Nosso Canal no YouTube: Entre aqui

Apple APP
Android APP

LIFE | ANÚNCIO DE PARCEIRO

Comentários:

17 thoughts on “Aquarius Life: Moradora é agredida por entregador de aplicativo. Veja vídeo! 

  1. E+Mendes disse:

    Se meteu com um assunto que não era com ela, provocou um cara que já tava nervoso, desafiou ele a vir pra cima dela. O cara perdeu o controle e foi pra cima mesmo. Parece até que fez tudo isso só pra ter o vídeo e depois posar de vítima! A situação era de total controle dela. Só dependia dela ter evitado isso! E não, ela não foi agredida por ser mulher. Ela foi agredida, primeiro porque não temos rigor da lei contra agressores, sejam eles (ou elas) agressores(as) de mulheres ou homens. Segundo porque não soube se colocar numa posição de precaução e humildade. Era só ter deixado passar…. Mas a “pauta” é mais importe neh! O enfrentamento! O registro! A postagem! Teve sorte por não ter se machucado gravemente.

  2. Valquíria disse:

    Da pra ver claramente a mulher também provocando o rapaz só para filmar , ,,ela também não é santa não.
    Pelo jeito gosta de confusão tbem .

    • Claudia disse:

      Essa mulher foi muito provocadora, deu muita sorte q não apanhou, acho q se fosse em SP tinha apanhado,.Se não tivesse morrido.

    • Ana disse:

      Ela filmou pq ele chegou gritando para ela filmar ele novamente já que agora estava sozinha. Enquanto estava no prédio ela filmou os gestos obscenos dele. E se com filmagem ainda há quem defenda um agressor, imagina se a moça não tivesse filmado.

  3. João Mendes disse:

    Quer comprar briga com outro? Que aguente com as conseqüências, da pra vê que ele não é motoboy de aplicativo.
    Mulher chata, quem procura acha, quem tinha que resolver isso era a porteira.
    Por fala em portaria, tem muitos porteiros mal educado com nós entregadores, não precisa ser mal educado, se não gosta de entregador, respeita pelo menos. Respeito gera respeito.
    Vou começar a gravar os porteiros mal educados e colocar na rede social, só para mostrar como são.
    O raça viu.

  4. Leandro disse:

    Mulher caçou e encontrou. Xarope demais, bem feito.

    • Ana disse:

      Espero que não aconteça com nenhuma mulher próximo de você. Eu como mulher fiquei chocada com o que vi. E me sinto cada vez mais vulnerável com comentários assim.

  5. Tatiana disse:

    É sério que vocês estão defendendo o agressor como se a culpa fosse da vítima?!

    • Ana disse:

      Essa é a triste realidade que viemos, o estrupo ocorre por causa da roupa, a agressão ocorre por motivos fúteis como esse, porque estava filmando ou provocou, e são mulheres julgando. Com capacete ele só quer intimidar já que não tem como ser identificado, já quando ela vai filmar a placa, ele quebra o celular. Ele esperou a moradora sair do prédio, deu uma volta no quarteirão e foi tirar satisfação com ela na praça, talvez achando que não teria testemunha e se aproximou gritando, filma agora que você está sozinha. Abordou ela dizendo que agora que ela estava sozinha que filmasse ele de novo, já que ela havia filmado os gestos obscenos dele em frente ao prédio. Então a vitima começou a filmar novamente. A questão é que algumas mulheres não se deixam intimidar, enquanto ficarmos caladas eles continuaram achando que podem tratar do jeito que querem.

  6. Variante Motumbo disse:

    É o ódio do bem…parabéns canhotagem

  7. Jardel disse:

    O cara está errado de bater e a mulher errada de comprar briga e ficar provocando um trabalhador até ele perder a cabeça. Se o cara fez coisas erradas na entrega é só pegar a câmera de segurança do prédio e mover um processo, boletim de ocorrência etc. Pelo que entendi até antes do cara pegar o telefone da mulher que filmava e sem autorização do motoqueiro, e jogar no chão o telefone, não houve qualquer tipo de agressão. Dizer que tudo começou por conta de um bom dia não respondido é também estranho, vai saber se o entregador não foi humilhado e tratado como lixo. E sinceramente acho que se não fosse uma mulher o motoqueiro tinha era quebrado a cara de quem estava filmando e provocando como ela estava. As mulheres muitas vezes não se dão o respeito e se aproveitam de ser mulher para provocar, ficar chamando para o pau etc…os dois estão errados. A justiça já não tem mais o que fazer mesmo, então pelo visto, vai ser mais um processo que poderia ser evitado, tudo isso aumenta o custo Brasil. É uma triste situação.

  8. Marcelo disse:

    Um erro não justifica o outro. Não é porque me xingou que pode bater! Ainda mais no trabalho, agrediu perdeu a razão. Só falta vomitarem que é legítima defesa! Pena que as leis não são mais rigorosas. Minha solidariedade à vitima.

  9. Scrlkend disse:

    Responder ao cumprimento é uma questão de educaçao. Ninguém pode se arvorar no direito de exigir uma resposta a que só civilidade obriga, com uma incivilidade desproporcional, grotesca, importuna, intimidatíria.

  10. Scrlkend disse:

    Essa senhora não “comprou a briga”, simplesmente fez o que muitos senhores ali presente deveriam ter feito e se omitiram: tentou colocar o insolente no seu “devido lugar”, qual seja, o de entregador de mercadoria.
    Sua função é entregar um produto e não “disciplinar” alguém que ele entendeu ser rude com ele…..

  11. Scrlkend disse:

    Infelizmente, no calor da refrega, essa senhora esqueceu_se que era, na lei da barbárie e do machismo, o lado fraco. Assim colocou_se em uma atitude extremamente vulnerável.
    Ela não deveria ter incentivado o vilão
    se não estivesse com uma arma de defesa para conter a fera.
    Seria lícito o uso e outro o resultado.

  12. Letícia disse:

    Sou mulher de motoboy, e isso não é nem a metade do que eles passam todos os dias nas ruas. O cara perdeu a razão em ter ido para cima e quebrado o celular dela, ele poderia ter ido embora e deixar ela falando sozinha, mas o tempo todo ela estava provocando ele, ela estava filmando sem o consentimento, isso é errado também. Alguns falam, “Tudo isso por causa de um boa tarde?” Não só por boa tarde não, os caras estão cansados da falta de educação e respeito, trabalham debaixo de chuva e sol, na pandemia arriscaram a vida para levar comidinha na casa de vocês, correm o risco de morrerem para receber em troca ignorância e falta de educação? Cansa trabalhar pra caramba em cima da moto, colocando-se em risco, podendo morrer a qualquer momento pra receber pouco e ainda não ser valorizado. O mínimo que a pessoa deve ter é educação e respeito. Os dois estão errados, mas ela quem começou uma briga e provocação desnecessária.

  13. Rubens Filho disse:

    Krskrs Só vi verdades. Apenas, brasileiros sendo brasileiros.
    Em um país com a educação menosprezado e subvalorizado tanto em ambiente familiar como nas escolas e quando não há o medo da punição através de leis rigorosas, inexistentes, as bandalhas comportamentais cotidianas prevalecerá sempre. O Congresso está aí para provar.
    “O errado é errado mesmo que todos estejam fazendo.O certo é certo mesmo que ninguém esteja fazendo”.
    A Teoria da Janelas Quebradas funcionaria?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.