Alimentação e castração; Mitos e Verdades!

Cães devem ingerir alimentos além da ração? Osso de galinha é prejudicial? Frutas e leite? Cachorros castrados urinam menos pela casa? Ficam menos agitados? Confira estas e outras questões!
    Assim como os humanos, nossos fieis amigos caninos também precisam de uma alimentação balanceada em prol de uma vida longa e saudável. Muitas vezes, o dono acaba tendo dúvidas quanto aos alimentos que são oferecidos aos bichos, como se a comida não vai causar mal, se a ração atende todas às necessidades nutricionais, entre outras.
“Hoje em dia as rações são bem balanceadas e suprem as necessidades dos cachorros. Rações também podem ajudar na prevenção de doenças relacionadas à idade, incluindo artrite, doenças cardiovasculares e crônicas. Não há necessidade de complementar a alimentação. O que pesa realmente é o aspecto sentimental em agradar o animal”, afirma o veterinário Roberto Takeo Shinkai.
Para satisfazer o cachorro, Shinaki sugere que o sabor das rações seja variado. “Filhotes devem se alimentar ao menos três vezes ao dia, já que eles não conseguem comer muito em uma única refeição. A falta de alimentação adequada pode ocasionar hipoglicemia (diminuição nos níveis de glicose). Adultos e idosos precisam comer duas vezes por dia”, conta.
Questionado sobre os principais alimentos que não devem ser oferecidos aos cães, o veterinário indica que a ingestão de chocolate, frutas ácidas, ossos de galinha e leite podem ter consequências graves e até causar a morte. Segundo Shinkai, o chocolate tem em sua composição uma substância chamada Teobromina (encontrada no cacau), que é rapidamente absorvida e age como um estimulante poderoso do sistema nervoso central e do coração.
“A Teobromina provoca um intenso aumento no trabalho muscular cardíaco associado a uma grande estimulação do cérebro, ocasionando arritmias cardíacas graves”, esclarece. Comple-menta os danos à saúde do melhor amigo o fato de que, como o chocolate possui grande quantidade de gordura, o pâncreas também sofre importantes danos. Frutas ácidas como abacaxi, limão e laranja, por exemplo, devem ser evitadas em razão da sensibilidade do estômago dos cães com relação à acidez destes alimentos.
Já os ossos de galinha podem causar sérios estragos no sistema digestivo do animal, além de rompimento dos dentes, lesões na boca, ossos colados no estômago e hemorragias graves do reto. Quanto ao leite, o veterinário relata que a maioria esmagadora dos cães é intolerante à lactose.
“Se tomarem leite, desenvolverão diarreia. Como não têm enzimas necessárias para dissolver o açúcar no leite, acabam sofrendo vômitos, diarreias e outras moléstias gastrointestinais’, comenta. Outro mito que deve ser evitado consiste na ingestão de carne cru. Apesar da dieta dos cachorros ser composta por 60% de carne e 40% de raízes e folhas, a carne deve ser servida devidamente cozida. “Carne cru oferece grandes riscos de doenças como parasitoses, cisticercose, toxoplasmose, dentre muitas outras”, frisa.
Referente à alimentação natural – prática que vem crescendo principalmente em países europeus -, o veterinário ressalta que essa iniciativa abrange questões como praticidade e investimento, além da própria consistência e equilíbrio da comida. “O dono precisa ter tempo para cozinhar, elaborar uma dieta equilibrada que supra as necessidades diárias do cachorro, com controle de gordura e sal. É muito complexo. Sem contar que a variedade de comida aumenta consideravelmente o risco de soltar o intestino e complicações dentárias. Todo esse trabalho é descartado com a utilização de uma boa ração”, destaca, antes de fazer uma ressalva com a utilização de rações light para cães obesos. “Não adianta comprar ração light e deixar à vontade para o cachorro. Mesmo sendo mais leve, é preciso dosar a quantidade”, complementa.

Castração engorda o animal? Shinkai explica que essa prática não causa obesidade, o que ocorre é uma diminuição no nível de hormônio, o que resulta em menos atividade física.
Machos castrados deixam de urinar pela casa? O volume urinário não sofre variação. Há uma diminuição no hábito de marcar território, ou seja, diminui a frequência, não o volume.
Castração diminui a possibilidade de câncer de mama? Se castrar antes do primeiro cio, há diminuição de cerca de 65% de chance de desenvolver tumor de mama. Entre o primeiro e segundo cio, essa probabilidade cai para 30%. Após o terceiro cio, fica indiferente.
Macho castrado tem menos interesse pela fêmea? Sim, devido à baixa de testosterona, o cachorro tende a ficar mais “calmo”.
Enfim, a castração é saudável? – Não há nenhuma contraindicação.

LIFE | veterinaria - Publicado 22:44 | - Redação

Compartilhe:

A LIFE INFORMA é um portal de notícias regionalizadas de São José dos Campos -SP.
Quer receber notícias pelo Telegram clique: https://t.me/lifeinform
Denúncias, reclamações e informações: Nossa redação 12 98187-2658
Siga nossas redes sociais: @lifeinforma

Apple APP
Android APP

LIFE | ANÚNCIO DE PARCEIRO

Comentários:

2 thoughts on “Alimentação e castração; Mitos e Verdades!

  1. Matilde Freitas disse:

    Excelente informações … estarei mais atenta ao habitos … estas dicas são preciosas para nós que sofremos com a azia e queimação. Obrigado por compartilhar!!!

  2. Alexandre Cercal disse:

    Tenho uma cachorra que resgatei da Rua gravida , teve 8 filhotes , todos saudáveis e ja nos seus respectivos lares, depois disso a cachorra entrou em cio , ao final desse cio , mandei ela para castração ( mais pelo medo de escapar e digamos voltar gravida rs) a castração faz 8 dias e a cachorra (mel) ta rejeitando ração … isso e normal ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *