Como deve ser a alimentação dos cães?

“O ideal continua sendo uma ração boa e de qualidade”, garante o veterinário da clínica Pet Company, Roberto Takeo Shinkai

Os cães escolhem seus alimentos instintivamente, e como nós, eles também têm preferências na hora de optar por suas comidas. Por exemplo, eles preferem carne de boi ao invés de frango, a gordura animal mais do que a vegetal e a carne cozida mais do que a crua.
No entanto, o correto é manter uma alimentação baseada na ração – apesar da tentação de oferecer um delicioso petisco ao melhor amigo. “É muito difícil balancear corretamente uma alimentação caseira. O ideal é oferecer rações boas e de qualidade”, afirma o veterinário da clínica Pet Company, Roberto Takeo Shinkai.
Segundo ele atualmente existem rações completas, que não precisam de nenhum tipo de complemento. “As rações atendem a todas as exigências nutricionais necessárias para o bom funcionamento do organismo”, acrescenta, antes de destacar outro fator favorável às rações.
“Oferecer uma alimentação caseira balanceada é muito mais caro e trabalhoso. Rações são mais acessíveis e práticas”, define o veterinário. Caso a tentação seja maior do que a razão, os petiscos até podem ser oferecidos, mas na função de sobremesa. Conforme Shinkai o petisco jamais deve substituir a alimentação principal.
“Petiscos podem ser oferecidos como um ‘prêmio’ por obediência ou algum outro merecimento”, conta. Questionado sobre os principais alimentos que devem ser evitados, o entrevistado é direto na resposta.
“Jamais se deve oferecer leite, chocolate e cebola. O leite possui alto teor de lactose e pode ocasionar diarreia. O chocolate tem teobromina que resulta em problemas gastrointestinais. Já a cebola pode causar intoxicação e impulsionar complicações no sistema nervoso”, enfatiza.
Outros alimentos como abacate, café, uvas e uvas passas, massa de pão ou de bolo crua, alho, doces dietéticos, comidas gordurosas e bebidas alcoólicas também devem ser evitados. Esses petiscos podem gerar excitação, depressão, frequência exagerada de urina, respiração lenta e até mesmo ataque cardíaco. “Em suspeita de intoxicação, o melhor é correr para o veterinário”, alerta Shinkai.
Alguns alimentos que podem ser oferecidos moderadamente são abóbora, batata-doce, banana, maçã, cenoura e brócolis. Para oferecer legumes ao seu cão, é preciso cozinhá-los ou tritura-los como um purê, para que sejam melhores aproveitados. Nos casos de batatas e aipim, devem ser sempre cozidos. Se for optar por folhas verdes, elas deverão ser trituradas, senão, não haverá aproveitamento.
Um fator primordial para os cães diz respeito à saúde bucal. “O acúmulo de tártaro pode ocasionar falência renal e falência em órgãos, além da perda da capacidade de mastigação. O recomendado é que a precaução bucal seja realizada diariamente, igual aos humanos. Existem diversos produtos para ajudar”, encerra o veterinário.

LIFE | veterinaria - Publicado 20:07 | - Redação

Compartilhe:

A LIFE INFORMA é um portal de notícias regionalizadas de São José dos Campos -SP.
Quer receber notícias pelo Telegram clique: https://t.me/lifeinform
Denúncias, reclamações e informações: Nossa redação 12 98187-2658
Baixe nosso aplicativo para facilitar ainda mais o seu acesso.

Apple APP
Android APP

LIFE | ANÚNCIO DE PARCEIRO

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *