Paraíba do Sul será ligado ao sistema Cantareira via BNDES

Financiamento será de R$ 747,4 mi. Dilma e Alckmin acompanharam ato em Brasília

A polêmica transposição do rio Paraíba do Sul para abastecimento da Grande SP, enfim, chegou a um final. Representantes do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social e da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo assinaram nesta quinta-feira contrato de financiamento para as obras que vão ligar as represas Jaguari (Bacia do Paraíba do Sul) e Atibainha (Bacia do Sistema Cantareira).

Segundo o governo paulista, a obra de ligação das represas é necessária para garantir a segurança hídrica na região metropolitana de São Paulo e custará R$ 830 milhões. O financiamento do BNDES vai ser de R$ 747,4 milhões. De acordo com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, as obras de ligação do Paraíba do Sul ao Cantareira terão 20 quilômetros de extensão. Em discurso no evento, o governador frisou que a seca registrada no ano passado foi a maior da história.

“O desafio que nós enfrentamos em 2014, senhora presidenta, foi a maior seca da história. No século passado, o ano que menos choveu foi 1953 na região do Cantareira. No ano passado, em 2014, choveu a metade de 1953. E essas mudanças de pluviometria e climáticas podem ter vindo para ficar. Esta é uma obra estruturante”, disse o governador. Após a assinatura do contrato de financiamento, a presidente Dilma Rousseff também discursou e afirmou que os governos federal e de São Paulo têm sido “parceiros, dentro das possibilidades”.

“E, desde o início da crise hídrica que se abateu sobre o Brasil, tanto no Nordeste como no Sudeste – e o governador tem toda razão porque a hidrologia que tivemos nos últimos anos está completamente fora da curva –, tomamos atitudes”, disse a presidente. A cerimônia de assinatura do contrato ocorreu na Sala de Audiências do Palácio do Planalto, salão com capacidade para 30 pessoas. Entre os presentes, estavam ministros, como Aloizio Mercadante (Casa Civil), Gilberto Kassab (Cidades) e Nelson Barbosa (Planejamento), o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, e integrantes do governo de São Paulo.

De acordo com o governador de São Paulo, com as obras, a capacidade de reservas das duas represas dobrará, passando de 1 bilhão de metros cúbicos por segundo para 2,1 bilhões. Na avaliação de Alckmin, a transposição diminuirá a “vulnerabilidade” dos sistemas. “Com os dois reservatórios integrados, isso se torna uma via de mão dupla. São 20 quilômetros de obras, sendo 13 quilômetros de adutoras e 6 quilômetros de túneis. Esta é uma obra importante e no dia 29 vai ser a abertura da última fase, o pregão eletrônico. Se não tiver nenhum problema jurídico, partiremos, então para a assinatura do contrato. É uma obra estruturante e preparada para 2017”, disse o governador. Alckmin disse que não haverá rodízio no fornecimento de água no estado. “Estamos preparados para o período seco”, acrescentou.

 

 

 

 

LIFE | destaques - Publicado 10:56 | - Redação

Compartilhe:

A LIFE INFORMA é um portal de notícias regionalizadas de São José dos Campos -SP.
Quer receber notícias pelo Telegram clique: https://t.me/lifeinform
Denúncias, reclamações e informações: Nossa redação 12 98187-2658
Siga nossas redes sociais: @lifeinforma

Apple APP
Android APP

LIFE | ANÚNCIO DE PARCEIRO

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *