Palmeiras perde por erros individuais de reservas e reanima o Dragão

Dois jogadores reservas protagonizaram lances que não só impediram que o Palmeiras confirmasse ficar abaixo da projeção de pontos da comissão técnica para o primeiro turno do Brasileiro, mas ‘ressuscitou’ um adversário na briga contra o rebaixamento. O time perdeu por 2 a 1 para o Atlético-GO, no Serra Dourada, renovando as esperanças do adversário.

Joelton Godoy

O Verdão tem os mesmos 16 pontos do 17º colocado Bahia e só não está na zona de rebaixamento porque tem uma vitória a mais do que a equipe nordestina. Logo abaixo, em 18º lugar, figura agora o Dragão goiano, que atingiu 15 pontos e pode até terminar a última rodada do turno, no próximo fim de semana, fora da faixa de degola.

A configuração da tabela teve participação direta de dois reservas do Palmeiras. O zagueiro Román foi improvisado na lateral direita e, nas suas costas, Eron abriu o placar aos 18 minutos. Aos 24, João Vitor aproveitou Eron mal posicionado para cruzar com precisão para Barcos empatar. Mas no segundo tempo Leandro Amaro saiu do banco e errou no gol de Rayllan, que também iniciou o jogo entre os suplentes, mas decidiu aos 34 minutos do segundo tempo.

Em busca de um segundo turno melhor, embora não tenha mais chances de atingir os 22 pontos almejados nesta primeira metade da competição, o Verdão recebe o Santos em clássico marcado para as 18h30 (de Brasília) deste sábado, no Pacaembu. No dia seguinte, também às 18h30, o Atlético-GO visita o Bahia em Salvador.

O jogo – Luiz Felipe Scolari não teve muitas opções para escalar seu time neste domingo. Foram nove desfalques: Henrique, suspenso, e Marcos Assunção, Márcio Araújo, Artur, Fernandinho, Wesley, Daniel Carvalho, Luan e Maikon Leite vetados pelo departamento médico. Mesmo assim, o técnico surpreendeu em sua escalação.

Embora o zagueiro Luiz Gustavo já tenha treinado na lateral direita, posição sem alternativa com as dores de Artur e a venda de Cicinho ao Sevilla, outro foi improvisado no setor: Román. Uma escolha que, no primeiro tempo, acabou custando caro ao problema pela dificuldade do paraguaio em se adaptar.

Román, contudo, não foi a única complicação da equipe visitante no Serra Dourada. Com João Vitor e o reestreante Correa como volantes, faltou entrosamento e posicionamento correto à frente da área. Desta forma, o Atlético-GO, que se caracteriza por fazer pressão em casa com toques rápidos, achava espaço até para Ricardo Bueno, criticado no Palmeiras, arriscar.

O desentrosamento ficou ainda mais claro aos 11 minutos, quando Correa, que treinou com o grupo só três dias antes de atuar neste domingo, foi o único a não se deslocar no momento certo para deixar os atleticanos impedidos e o gol não saiu apenas porque Patric, desequilibrado, facilitou o trabalho de Bruno.

Mas outro desajuste foi fatal. Aos 16 minutos, Román esqueceu de cobrir a passagem de Eron e, como Maurício Ramos estava adiantado demais, o lateral esquerdo recebeu com liberdade na grande área para dominar com a canhota e bater de direita, sem chances para Bruno evitar a abertura do placar.

O gol adversário acordou o Palmeiras, que passou a procurar mais Valdivia e, tocando mais a bola, ocupar o campo de defesa do Dragão. E acabou empatando da mesma forma pela qual sofreu o gol: João Vitor avançou como lateral, nas costas de Eron, e teve liberdade para colocar a bola na cabeça de Barcos e, de lá, para as redes, aos 24 minutos.

A diferença dos gols é que ver suas redes balançadas não mudou a postura do Atlético-GO, que já não tocava mais a bola de em pé e raramente assustava. E também não conseguia acertar a marcação. Principalmente nas costas do lateral direito Marcos, o Verdão pressionava e Mazinho não fez o segundo, aos 35 minutos, devido à grande defesa de Márcio.

O clube paulista começou o segundo tempo atuando com ainda mais constância no campo adversário, mas, aos 12 minutos, Valdivia saiu de maca – de acordo com a comissão técnica, sua substituição estava prevista. Nos minutos seguintes, a entrada de Obina em seu lugar pareceu ser melhor, já que o atacante logo teve duas grandes chances bem defendidas por Márcio. Mas, na sequência da partida, o Verdão perdeu posse de bola sem o seu camisa 10 em campo. E o Atlético-GO até mexeu no seu setor ofensivo para aproveitar a mudança de panorama.

Foi quando duas alterações mudaram a história do confronto: Thiago Heleno saiu mancando para a entrada de Leandro Amaro e o meia Rayllan substituiu o atacante Ricardo Bueno. Aos 34 minutos, Leandro Amaro falhou e Patric, com liberdade, tocou para Rayllan, também desmarcado, um minuto após sua entrada, definir a vitória goiana.

Sem organização, mais na vontade e disposição, além de lances de qualidade de Barcos, o Palmeiras pressionou em vão. O empenho serviu somente para Eron deixar o jogo como herói do Atlético-GO ao se impor sempre com sucesso à frente de Obina.

LIFE | esportes - Publicado 05:33 | - Redação

Compartilhe:

A LIFE INFORMA é um portal de notícias regionalizadas de São José dos Campos -SP.
Quer receber notícias pelo Telegram clique: https://t.me/lifeinform
Denúncias, reclamações e informações: Nossa redação 12 98187-2658
Siga nossas redes sociais: @lifeinforma

Apple APP
Android APP

LIFE | ANÚNCIO DE PARCEIRO

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *