Novidade: Testes de sangue fazem diagnóstico de Alzheimer e Esquizofrenia


Estudos brasileiros têm obtidos bons resultados no estágio inicial da pesquisa; doenças afetam um total de 49 milhões de pessoas

Que a medicina evolui a passos largos não é novidade. Mas detectar – por meio de gotas de sangue – de forma precisa o diagnóstico positivo ou negativo de doenças como mal de Alzhiemer, esquizofrenia ou autismo pode ser uma das grandes novidades positivas desta década. É isso o que vem tentando diversos grupos brasileiros de pesquisa. E até agora a empreitada tem demonstrado bons resultados.
Os exames, no entanto, estão em estágio inicial de estudos que envolvem poucos voluntários. “Mas os avanços indicam que o diagnóstico rápid destas doenças não está longe”, afirma o neuropsiquiatra da Unep, Carlos H. Ferreira Banys. Atualmente não há um exame específico que identifique o Alzheimer e a esquizofrenia, doenças que respectivamente afetam 28 milhões e 21 milhões de pessoas no mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde.

Alzheimer – Para descartar a possibilidade de outras doenças são usados exames do líquido cerebrospinal – ou líquor, normalmente retirado da lombar – e tomografia computadorizada ou ressonância magnética. O problema é que nem sempre o resultado é claro ou rápido, o que proporciona sensação de insegurança e incerteza aos pacientes. “Um resultado preciso que indicasse a presença ou não da doença significaria um grande progresso, principalmente para o início mais precoce dos tratamentos”, destaca o psiquiatra Carlos H. Ferreira Banys.
Um dos estudos, desenvolvidos na Universidade Federal de São Carlos trabalhou com uma amostra de 24 pessoas, sendo oito saudáveis, oito com pré-alzheimer e outras oito diagnosticadas com a doença. Todos os voluntários eram idosos, ou seja, com idade superior a 60 anos. A pesquisa utilizou como princípio a presença da proteína ADAM10, que é relacionada ao Alzheimer. Os pesquisadores coletaram sangue dos participantes e depois colocaram o material sobre um sensor desenvolvido pela equipe que atua na pesquisa.
Trinta minutos depois, o aparelho conseguiu detectar alterações nos níveis de ADAM10. “Assim foi possível separar e diferenciar cada um dos grupos. Isso ajuda a evitar a confusão do Alzheimer com outras doenças, como ocorre nos dias de hoje”, aborda o médico.

Esquizofrenia – As mesmas análises de sangue utilizadas para o diagnóstico do Alzheimer também podem ajudar na detecção da esquizofrenia. Em um estudo foram comparados 26 pacientes com esquizofrenia 27 sem o transtorno.
Foram analisados as diferenças metabólicas entre os dois grupos. O sangue foi comparado com auxílio de ressonância magnética de prótons. “É uma forma de investigação detalhada a nível molecular”, esclarece o especialista.
A próxima etapa é expandir o teste para cerca de 400 pessoas, o que vai possibilitar ver como a nicotina, peso, gênero e medicações influenciam no teste.


LIFE | saude - Publicado 17:38 | - Redação

Compartilhe:

A LIFE INFORMA é um portal de notícias regionalizadas de São José dos Campos -SP.
Quer receber notícias pelo Telegram clique: Clique aqui Telegram
Acompanhe em nosso grupo de Whatsapp:  Clique aqui WhatsApp
Denúncias, reclamações e informações: Nossa redação 12 98187-2658
Siga nossas redes sociais: @lifeinforma
Nosso Canal no YouTube:
Entre aqui

Apple APP
Android APP

LIFE | ANÚNCIO DE PARCEIRO

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *