Melatonina: Solução para a insônia?


Também conhecida como “hormônio do sono”, substância natural é liberada pela Anvisa e ganha cada vez mais adeptos na incansável luta contra as noites mal dormidas

Quem toma garante: a melatonina é um grande estimulador do sono e não provoca nenhum sintoma de “ressaca” na manhã seguinte – como acontece com a maioria dos remédios tarjas pretas. Também conhecida como hormônio do sono, a melatonina é um hormônio natural produzido pela glândula pineal, que é uma pequena glândula localizada na região central do cérebro, no meio dos dois hemisférios cerebrais.
Essa substância age sobretudo no próprio cérebro, sendo responsável pelo controle dos ciclos de sono e vigília. À noite, quando está escuro, a produção de melatonina aumenta, induzindo o cérebro a sentir sono. Durante o dia, quando está claro, a secreção de melatonina reduz-se, fazendo com que fiquemos mais despertos.
A simples exposição à luz durante a noite ou ao escuro durante o dia pode alterar o ritmo de produção da melatonina. “A ação natural da melatonina sobre a indução do sono inspirou a criação de formas sintéticas do hormônio, cujo objetivo seria criar um fármaco que ajudasse a combater a insônia sem provocar os efeitos colaterais dos medicamentos habitualmente utilizados para esse fim. Os resultados vêm sendo satisfatórios”, explica o psiquiatra da Unep, Carlos H. Ferreira Banys.
Liberado recentemente pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), a melatonina vendida comercialmente apresenta dois efeitos: ajuda na indução do sono e na sua manutenção durante a noite. A melatonina também serve para regularizar o sono nos trabalhadores noturnos, que precisam dormir de dia.
Existem atualmente duas formas diferentes de melatonina. “Tem a sintética, de rápida ação, que é a mais comum, e os análogos como Ramelteon e Tasimelteon”, conta o médico.
Dosagem – A melatonina pode ser encontrada em diversas dosagens: 1 mg, 2 mg, 3 mg, 5 mg ou 10 mg. A dose de melatonina capaz de simular a produção natural do hormônio é de 0,3 a 0,5 mg por dia. Como a dose comercializada mais baixa é de 1 mg, o mais indicado é que no início do tratamento o paciente tome meio comprimido de 1 mg 30 minutos antes de ir para a cama.
Se não houver resultado, a dose pode ser aumentada progressivamente até 3 a 5 mg por dia (na maioria dos casos, a dose até 1 mg é mais do que suficiente). “A dose recomendada da melatonina de ação prolongada é de 2 mg, que deve ser tomada 1 ou 2 horas antes de ir para cama”, destaca o psiquiatra. E acrescenta. “O hormônio do sono é uma boa opção de tratamento contra a insônia, já que em doses baixas o risco de efeitos colaterais é pequeno e mesmo quando a reposição de melatonina não é a melhor opção de tratamento, o seu efeito placebo acaba sendo suficiente para muitos pacientes”, encerra o especialista.


LIFE | saude - Publicado 18:28 | - Redação

Compartilhe:

A LIFE INFORMA é um portal de notícias regionalizadas de São José dos Campos -SP.
Quer receber notícias pelo Telegram clique: Clique aqui Telegram
Acompanhe em nosso grupo de Whatsapp:  Clique aqui WhatsApp
Denúncias, reclamações e informações: Nossa redação 12 98187-2658
Siga nossas redes sociais: @lifeinforma
Nosso Canal no YouTube:
Entre aqui

Apple APP
Android APP

LIFE | ANÚNCIO DE PARCEIRO

Comentários:

2 thoughts on “Melatonina: Solução para a insônia?

  1. Humberto disse:

    Quero comprar melatonina de 3 ou 10mg

  2. Laura Oliveira disse:

    Oi amigos, eu tomo Melatonina para Insônia já fazem 3 anos e posso afirmar que a Melatonina só tem benefícios para a nossa saúde.

    Se mais alguém toma a mais de 1 ano fala ai também para trocarmos idéias e informações.

    Obrigado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *