Governo Temer deve ser mais enxuto e privatista

Autointitulado “pacificador da nação” busca imagem de estadista capaz de segurar a crise política, mas deverá ser atacado por movimentos sociais e sindicatos enquanto tenta formar governo

TemerAos 75 anos, Michel Miguel Elias Temer Lulia já age como presidente informal. Nos últimos dias, a residência oficial da Vice-Presidência, em Brasília, tornou-se ponto de romaria de políticos para o beija-mão no homem que se apresenta como “o pacificador da nação”. Essa busca por uma imagem de estadista capaz de estancar a crise política, econômica e social é obra de dois dos seus mais influentes conselheiros: o consultor de comunicação Gaudêncio Torquato e o filósofo Denis Rosenfield.

Cerimonioso, Temer não abre mão da fleuma que lhe é peculiar, mas fala abertamente no cenário pós-Dilma, discutindo medidas e nomes para um futuro ministério. É nesse desenho que atua Rosenfield. Cabe a ele o papel de formulador do novo ideário peemedebista: liberal, privatista e adepto do rigor fiscal. Não há texto ou concepção que não passe pelo crivo dele. Outros confidentes de Temer são o presidente da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, e o advogado paulista José Yunes.

De olho em possíveis reações de movimentos sociais e sindicatos

Uma das principais preocupações desse grupo para os primeiros dias de um futuro governo Temer é a reação dos movimentos sociais e das centrais sindicais vinculadas ao PT. No curto prazo, o plano é cortar todos os repasses de recursos federais para organizações como o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e assemelhados. Em seguida, aprovar o fim do imposto sindical, butim próximo de R$ 3 bilhões, distribuído todo ano a cerca de 10 mil entidades.

Para o comando da economia, Temer busca alguém com credibilidade no mercado e interlocução com o Congresso. O grupo de Temer tem confiança de que a maioria obtida na votação do impeachment será mantida como base de sustentação parlamentar, à medida que o novo governo terá sua legitimidade afiançada pelo próprio parlamento.

– O nosso maior patrimônio é essa articulação que fizemos para aprovar o impeachment. É natural que os partidos que derrotaram Dilma agora se incorporem à base de um governo Temer – avalia o deputado Osmar Terra (PMDB-RS).

Manter relação com PSDB é motivo de preocupação

Contudo, causa angústia ao vice a forma de evitar dissabores com o PSDB, maior partido de oposição a Dilma e hoje dividido entre as alas dos senadores Aécio Neves (MG), José Serra (SP) e do governador Geraldo Alckmin (SP). Como os três pretendem disputar a eleição de 2018, Temer não quer alimentar rancores ao privilegiar algum dos grupos em detrimento dos demais.

– Serra sonha em ser ministro da Fazenda do Temer, algo como o Fernando Henrique (Cardoso) foi no governo Itamar Franco. Só que isso o Aécio não aceita de jeito nenhum. Vai ser preciso ter muito cuidado nessa operação – afirma um conhecedor dos planos tramados no Palácio do Jaburu.

A formação de uma equipe de notáveis e a habilidade política de Temer também são considerados trunfos para vencer essa questão e para a aprovação de temas polêmicos, como reformas trabalhista e da Previdência. O peemedebista pretende reduzir o número de pastas na Esplanada para algo em torno de 20 ministérios, intensificar as parcerias público-privadas e limitar o papel do Estado ao trinômio saúde, educação e segurança.

Nos bastidores, os conselheiros de Temer estimam ter prazo de seis meses para, pelo menos, melhorar o cenário econômico, com redução da inflação e retomada dos índices de emprego. Como as pesquisas de opinião apontam rejeição a Temer, essas duas metas teriam de ser atingidas até as eleições municipais para evitar descontentamento popular que afete as candidaturas de PMDB e partidos aliados. Se obtiver êxito, ele se consagraria no papel que escolheu para si desde o início da crise política: o de condutor de um “governo de salvação nacional”.

Por: Fábio Schaffner, ZH


LIFE | politica - Publicado 09:39 | - Redação

Compartilhe:

A LIFE INFORMA é um portal de notícias regionalizadas de São José dos Campos -SP.
Quer receber notícias pelo Telegram clique: Clique aqui Telegram
Acompanhe em nosso grupo de Whatsapp:  Clique aqui WhatsApp
Denúncias, reclamações e informações: Nossa redação 12 98187-2658
Siga nossas redes sociais: @lifeinforma
Nosso Canal no YouTube:
Entre aqui

Apple APP
Android APP

LIFE | ANÚNCIO DE PARCEIRO

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *