“Fluxo” é alvo de reclamação constante de moradores de São José

PM e GCM não conseguem dar conta da demanda

Reprodução: Fluxo na praça do Torii no Aquarius | Barulho das 0h30 até às 3h30 da madrugada de sábado.

Aos finais de semanas, inúmeros jovens se reúnem em bairros como Urbanova, Altos de Santana, Dom Pedro, Avenida Anchieta, Aquarius, Interlagos e Santa Inês, com música alta, consumo de drogas e bebidas alcóolicas. Em alguns casos, o policiamento esteve no local, mas moradores alegaram que nada foi feito para interromper a festa, que muitas vezes demoram até 5 horas para resolver.

Veja relatos de moradores de diversas regiões:

No Aquarius, Praça Torii “Passaram duas viaturas e simplesmente não fizeram nada. Tentamos ligar para polícia e é muito difícil falar. Outras pessoas devem ter acionado também porque o barulho para quem mora no condomínio Sunset deve ser bem pior. Contudo, durou umas 3h até a polícia fazer alguma coisa.”

No Urbanova, “Impressionante! E a PM continua fazendo blitz lá na Linneu de Moura onde não vai pegar nada. Tem que fazer dentro do bairro nesse local onde todos estão cansados de saber que acontece isso. Infelizmente não resolvem porque não querem.”

No Esplanada, “Não dá mais, NÃO ESTAMOS AGUENTANDO MAIS! A avenida Anchieta fica insuportável de madrugada, som alto, um querendo ouvir mais que o outro. Isto porque fica um carro da polícia no começo e outro no final, pra que? Para dar segurança pra eles? TERRA SEM LEI”

No Dom Pedro
,“É muita gente. Um querendo levantar o som mais alto que o outro, barulho de moto, carros na calçada, já vi até gente armada”.
Ações planejadas para tentar coibir esse tipo de encontro é argumento de todo final de semana de nossas seguranças.

A Life acompanhou a dispersão da PM contra um fluxo na madrugada de sábado (5), na avenida Anchieta, por volta da 1h. Mas, relatos informaram que saíram da Anchieta e foram para o Aquarius, na praça Japonesa, às margens da avenida Cassiano Ricardo. Mas, ao mesmo tempo em que acontecia esta dispersão também ocorria fluxo no Urbanova, na zona norte, e na zona sul de São José.
Isto já é problema certo para os finais de semana, e qual a solução? Seguimos sem…

O lado dos Jovens
Todos concordam que os jovens precisam de diversão, mas isto tem que acontecer em um local apropriado e com civilidade, mas qual é o local apropriado? Tirando este momento de pandemia onde precisamos evitar aglomerações, precisamos de soluções para ambos os lados.

LIFE | cotidiano - Publicado 13:50 | - Redação

Compartilhe:

A LIFE INFORMA é um portal de notícias regionalizadas de São José dos Campos -SP.
Quer receber notícias pelo Telegram clique: https://t.me/lifeinform
Denúncias, reclamações e informações: Nossa redação 12 98187-2658
Siga nossas redes sociais: @lifeinforma

Apple APP
Android APP

LIFE | ANÚNCIO DE PARCEIRO

Comentários:

13 thoughts on ““Fluxo” é alvo de reclamação constante de moradores de São José

  1. Antonio disse:

    25 anos atrás o por do sol na avenida anchieta já era assim, bebibas, drogas e rachas todos os finais de semana!!! tempo bom! E ainda tinhamos chaparral, marginal carrefour, kiss, adega no vista verde, barcelona…. e por ai vai!

    • Bruno disse:

      Antônio, funcionário do Felicio, tudo bem? E o fluxo, patrão vai resolver?

      • Antonio disse:

        vai nada,isso movimenta a econômica, deixa o povo reclamando ai!!!!

  2. MPP disse:

    A questão dos fluxos não tem nada haver com o encontro dos jovens, a constituição garante o direito!!! O que tem que ser coibido é o som alto, o tráfico de drogas, o comércio de bebidas alcoólicas a menores e outros delitos que por ventura estejam ocorrendo. Portanto, o poder público precisa agir, não para coibir os jovens. Precisa, levar a justiça traficantes, donos de estabelecimento que comercializam bebidas a menores, multar os infratores com som alto e por aí vai.

    • Bruno disse:

      a ver…please.

    • Rubens disse:

      Krskrs Manos e Minas. É nois! MPP
      Funk e sertanejas no máximo e de fundo os escapamentos das motokas gritando.
      “Fluxo” é o fluxo de grana com pinos, corote , saquinhos da erva e vidrinhos de loló e lança-perfume.
      Ainda bem que não tem fiscalização de ” lei seca” e gambés à paisana.
      E nois ainda suja as vias e jardins com bitucas e embalagens de todos os tipos deixando lixo da nossa passagem.

    • Pedro disse:

      Tem que descer a borracha no lombo desses vagabundos, é a única linguagem que eles atendem e entendem.

  3. Bruno disse:

    O Prefeito é culpado! Por que não manda a polícia sentar a borracha nesses vagabundos?

  4. Francisco disse:

    É fácil colocar a culpa na Polícia uma vez que o órgão responsável não toma nenhuma providencia. O som proveniente de veículos é de competência do trânsito e GCM fiscalizar, pois a PM não teve o convênio renovado.
    As praças de nossa querida cidade compete também a prefeitura fiscalizar e tomar as devidas providências e na Av Anchieta, local de maior aglomeração temos o Deck que a prefeitura ampliou….aumentando significativamente o número de jovens aos finais de semana.

    • Bruno disse:

      A culpa não é do deck 🐮

  5. Geraldo Luiz disse:

    Porque não colocam placas proibindo estacionamento de veículo na Av Anchieta a partida das 22h? Pelo menos não teria mais som alto de veículos e acabaria os fluxos…

  6. Luis disse:

    Moradores de prédios, comprem estilingue

  7. Antonio disse:

    qual a opção para o jovem em Sjcampos? 22horas vão embora dormir e estudar, no final de semana? difícil!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *