Editorial: Inversão de valores?

Sem treinamento eficaz, guardas municipais são execrados após terem dificuldade em imobilizar um senhor que praticou desacato e descumpriu ordem de não entrar com cão no Mercadão

Foto: Vereador Esdras Andrade

Por Marco Osio Pugliesi

Você é um funcionário público que recebe salário muito aquém do que deveria receber pela responsabilidade de circular armado em uma cidade do porte de São José. Seu local de trabalho é o sempre agitado “centrão” – por onde circulam milhares de pessoas, mesmo em tempos de pandemia. Esta mesma maldita pandemia impôs novas regras nos costumes da sociedade: a principal delas é a higiene.
Há tempos que a prefeitura estabeleceu que cachorros são proibidos no Mercadão. Sua função profissional é zelar pelas regras e patrimônios do município. Um senhor entra com cachorro no Mercadão. Você avisa que é proibido. Ele o ignora e o desacata. No momento de sair você, trabalhando e também sobre o stress da pandemia, ainda recebe na farda um copo plástico com café tacado pelo mesmo senhor.
A abordagem é natural neste caso e seria feita por qualquer força de segurança do planeta. E é exatamente na abordagem que ocorre a falha da ocorrência: faltou treinamento aos Guardas Municipais. Bastava algum conhecimento básico de técnicas de imobilização para que os três guardas dominassem o senhor com facilidade, pegassem o cachorro sem derrubar o animal e conduzissem o infrator ao Distrito Policial.
Como que a prefeitura em pleno 2020 não oferece aulas obrigatórias de Jiu-Jitsu a todo contingente? Se os guardas tivessem ao menos seis meses de prática o caso certamente teria terminado com menos alarde e repercussão.

Consequências
Até o Corinthians – o senhor usava camisa do alvinegro no dia da ocorrência – se solidarizou com seu Jadir e o presenteou com produtos oficiais do clube. Seu Jadir e sua cadela Isabele recebem toda assistência jurídica e veterinária, fornecidas pelo vereador Esdras Andrade, defensor da causa animal. Uma vaquinha virtual, com objetivo de arrecadar R$ 200 mil para seu Jadir, vem sendo feita.
Já os guardas foram execrados pela opinião pública em abrangência nacional. Eles vão ter que se virar caso tenham gastos advocatícios e enfrentar a Corregedoria da GCM – fora outros importunos como ser reconhecido pelas ruas.

Mas afinal, de quem é a culpa?
Sensato, leitor, não culpe os guardas! O responsável é a prefeitura, que não oferece treinamento adequado para este tipo de situação!! Mas, como habitual em nosso país, a corda sempre arrebenta do lado mais fraco!


*Está postagem não representa a opinião da Life Informa.

LIFE | cotidiano - Publicado 09:53 | - Redação

Compartilhe:

A LIFE INFORMA é um portal de notícias regionalizadas de São José dos Campos -SP.
Quer receber notícias pelo Telegram clique: https://t.me/lifeinform
Denúncias, reclamações e informações: Nossa redação 12 98187-2658
Baixe nosso aplicativo para facilitar ainda mais o seu acesso.

Apple APP
Android APP

LIFE | ANÚNCIO DE PARCEIRO

Comentários:

5 thoughts on “Editorial: Inversão de valores?

  1. Luciana Pinto disse:

    Sim é preciso treinamento para coagir situações que indicam riscos aos mesmos,porém para termos um pouco de humanismo não precisa de treinamento e sim de sentimentos de se por no lugar do outro e não se sentirem superior a ninguém . O senhor citado na matéria foi errado porém, quem não acredita que com uma boa abordagem ( conversa)se desarma até um desequilibrado mental armado imagina um velho tentando entrar com um cachorro em um estabelecimento. Desculpem mas, a falta de preparo emocional também conta. Acho que eles precisam sim de preparo emocional, já que não nasceram e concequentement não desenvolveram a tal da EMPATIA.

  2. Cezar Neto disse:

    Essa é a tática dessa esquerdalha: emburrecer para dominar seus seguidores.

  3. José Maria Paranhos disse:

    Bom editorial, honesto. Um dos poucos sites ainda razoáveis de se ler.

  4. Tassiane disse:

    “Já os guardas foram execrados pela opinião pública em abrangência nacional”…

    MAS mas está certo…serem executados foi pouco pra eles, pois, muita falta de respeito com a população estes guardinhas de meia tigela, sem preparo e um bando de moleques de farda tiveram… vejam só no vídeo como falaram com os demais que ali próximo ao ocorrido pediam a eles para terem um pouco de paciência e não agredirem o senhor Jair daquela maneira… foi um exageiro… Agora vê se com bandido eles fazem isso, nada… morrem de medo!!! até fala pra calar a boca eles falaram com pessoal ali próximo tentando acalmar a situação… isso é culpa da prefeitura? Ética, postura e educação não veem de cursos e preparos oferecidos pela prefeitura… isso vem de berço, o erro é colocar está patrulha de moleques na nossa cidade pra fazer papel que deveria ser de militares, desvio de função da nisso… guardas municipais devem cuidar de patrimônios da cidade, parques, escolas…. aí o resultado é esse, colocam um bando de crianças sem preparo nas ruas pra fazer papel de militares, até bandido não temem a eles … palhaçada é ver estes guardinhas atuando, muita falta de performance….

  5. Georges disse:

    Um indivíduo desacata quem está ali para coibir atos contrários aos padrões, joga um copo de café em cima do preposto de cuidar da ordem e segurança e todo mundo se volta contra os guardas e a prefeitura que deveria ter dado curso de artes marciais aos guardas? E ainda por cima o indivíduo recebe presentes por isso? Não tem algo muito errado aí não? Já pensaram se cada um resolver querer fazer o que lhe convém independente de ser o padrão acordado? Feliz ou infelizmente há de existir regras para a convivência em sociedade senão vira faroeste.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *