Alunas joseenses se destacam em Olimpíadas e descobertas científicas

Foto PMSJC

O ano de 2021 começou diferente para Micaele Vitória Cavalcante Gomes, 17 anos, ex-aluna da Emef Elizabete de Paula, no Jardim Mariana. Estudiosa e apaixonada por astronomia, foi observando imagens do céu no dia 7 de janeiro, durante estudos para um projeto, que ela identificou um asteroide e, futuramente, poderá nomear sua descoberta.

Gabrielle Rocha dos Santos, 14 anos, concluiu o ensino fundamental no ano passado na mesma escola municipal. Assim como Micaele, Gabrielle é apaixonada por Ciência e se destaca na área. Nos três últimos anos, a estudante conquistou medalhas de ouro por suas participações na OBA (Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica).

São muitas as histórias inspiradoras de alunos e ex-alunos da rede de ensino municipal de São José dos Campos. Com incentivo aos estudos e oportunidades em campeonatos e olimpíadas, alunas como Noemy Vitória Menezes de Almeida, 13 anos, se inspiram e se preparam para o futuro.

“Participei pela primeira vez da OBA em 2018, gosto de estudar sobre os planetas e ciências em geral, por isso, adorei participar da Olimpíada. A escola me ajuda muito a ter disciplina nos estudos. Já estou me preparando para a edição deste ano”, conta Noemy.

Asteroide

Micaele faz parte do grupo “Caça Asteroides”, ligado à Unesp (Universidade Estadual Paulista) e inscrito no programa IASC (International Astronomical Search Collaboration), coordenado pela Nasa.

Após a descoberta da jovem, o asteroide terá as características e rota analisadas por astrônomos profissionais, o que pode levar até cinco anos. Concluído esse período, o estudo será catalogado pelo Minor Planet Center (Harvard) e então poderá ser batizado pela descobridora. Em seguida, a proposta deve ser levada ao órgão que oficializa a identificação, a União Astronômica Internacional.

“Participar do projeto ‘Caça Asteroide’ da Unesp foi uma experiência única na minha vida, um sonho que realizei. Sempre quis contribuir para a Ciência de alguma maneira, mas não esperava que fosse assim e tão rápido. Conheci pessoas legais no projeto, aprendi muito e desenvolvi o meu lado pessoal também”, diz.

“Cada conquista que tenho dedico a todas as meninas que também se esforçam, estudam e gostam de pesquisa e Ciência. Espero que outras também possam alcançar sonhos, acreditar que são capazes e fazer a diferença”, destaca a estudante, que ainda irá decidir qual nome dar para sua descoberta cientifica.

Foto PMSJC

Inspiração

Micaele e Gabrielle compartilham com Noemy gostos em comum e as salas de aula e laboratórios da mesma escola municipal, no Jardim Mariana, região leste da cidade.

“Amo estudar Ciência, gosto muito da natureza, saber como tudo funciona, como tudo é formado e organizado é algo que me encanta. A Olimpíada, além de tratar de assuntos que encantam, nos dá oportunidade de descobrir ainda mais sobre o mundo, as surpresas lindas do universo”, afirma Gabrielle, que atualmente cursa o 1º ano do ensino médio na EE Valmar Lourenço Santiago, no Campos de São José.

“Sempre há mais para se aprender, como o nosso universo, que ainda guarda muitos mistérios e áreas inexploradas. Gosto de Ciências, de Astronomia e de Medicina, pretendo decidir meu futuro por uma dessas áreas”,afirma a jovem.

“O apoio e o carinho que a toda equipe pedagógica me deu em 2018 foram essenciais para formar o que sou hoje. A ‘Bete de Paula’ foi a escola que proporcionou meu primeiro contato com a Ciência e que, além de dar oportunidades, me apoiou. Guardo um carinho enorme pela escola que me mostrou que todo sonho é possível. Meu sentimento de gratidão é tão forte que espero poder retribuir o que foi feito por mim”, afirma Micaele.

“Na escola recebo incentivo e percebo a dedicação de todos. A Micaele e a Gabrielle são exemplos para mim, para continuar me dedicando aos estudos”, diz Noemy.

Projeto da Nasa

A proposta da Nasa é contar com a cooperação de cientistas e cidadãos do mundo inteiro para descobertas sobre o universo. Os achados do projeto Caça Asteroides vão contribuir para os estudos de astrônomos profissionais. As imagens foram captadas pelo telescópio do projeto Pan-STARRS1, localizado no alto de um vulcão inativo de cerca de 3 mil metros de altitude no Havaí.

Destaques na OBA

A edição 2020 da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica, que aconteceu virtualmente, teve presença de destaque dos estudantes da rede de ensino municipal. Com 129 medalhas, alunos de São José conquistaram 43 de ouro, 30 de prata e 56 de bronze.

Entre os medalhistas, 24 alunos da rede municipal se classificaram para as pré-seletivas da Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica e para a Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica de 2021, porque alcançaram nota igual ou maior a 9 na prova da XXIII OBA de nível 3 para estudantes do último ano do Ensino Fundamental.

Podem participar da OBA alunos do primeiro ano do ensino fundamental até alunos do último ano do ensino médio. A competição tem como principal objetivo incentivar os alunos a estudarem disciplinas como Física, Matemática e Geografia, além de despertar o interesse dos jovens pela Ciência e Tecnologia ao abrir portas para o universo da Astronomia prática e teórica.

LIFE | cotidiano - Publicado 18:11 | - Redação

Compartilhe:

A LIFE INFORMA é um portal de notícias regionalizadas de São José dos Campos -SP.
Quer receber notícias pelo Telegram clique: https://t.me/lifeinform
Denúncias, reclamações e informações: Nossa redação 12 98187-2658
Siga nossas redes sociais: @lifeinforma
Nosso Canal no YouTube: Entre aqui

Apple APP
Android APP

LIFE | ANÚNCIO DE PARCEIRO

Comentários:

2 thoughts on “Alunas joseenses se destacam em Olimpíadas e descobertas científicas

  1. Rubens de Camargo Vianna Filho disse:

    Parabéns. Mas é assim que se peneira mentes brilhantes para que os EUA e China as levem para bem longe do Brazil e trabalhem para eles. CNPq-Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico QUE O DIGA !?

  2. Rubens de Camargo Vianna Filho disse:

    Aliás estas fotos foram tiradas no interessante e desconhecido Museu Interativo de Ciências – MIC. Endereço: R. Prof. Felício Savastano, S/N – Vila Industrial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *